EMD Cast #7: Review – Hikaru no Go

 


 -> PODCAST <-

Lembrando que recomendamos que baixem nossos podcasts.

Para fazer o DOWNLOAD e/ou ESCUTAR ONLINEMega.

EMD Cast #7_ Review – Hikaru no Go.mp3

(para baixar, clique com o botão direito do mouse e escolha a opção “salvar link como”)

*As informações desse cast podem ser encontradas no final deste post.

– Informações Gerais –

Onde baixar anime: FANSUBBER
Status do anime: terminado com 75 episódios e um OVA.
Onde baixar manga: em inglês completo no BakaBT e à venda nas bancas em português.
Status do manga: terminado com 23 volumes.

*Para saber sobre as músicas utilizadas no cast ou caso tenham qualquer dúvida, entrem em contato conosco.

31 pensamentos sobre “EMD Cast #7: Review – Hikaru no Go

  1. Muito bom o cast. Desculpe pela postagem gigante, mas…
    Só discordo de vocês. Já li todo manga 3 vezes, e o anime também (minha nota é 9 do começo ao fim). Na Europa foi um dos animes mais famosos de todos os tempos (passou na tv lá). É uma obra basicamente de esporte usando a inteligência. E a diferença entre vocês e quem gostou foi a de jogar o jogo de verdade. Faz toda diferença do mundo, ser ou se tornar um jogador. Na verdade vocês não entendem o sentimentos de medo dos jogadores. Se você perde uma partida de xadrez (eu jogo xadrez desde criança), apenas conclui-se que a outra pessoa joga melhor; já no GO, você vê quando alguém é mais inteligente que você, em todos os aspectos, e isso causa uma sensação de medo que só quem joga consegue dizer (muito difícil de lhe dar com isso, é um abalo psicológico real que acontece com todos os jogadores). Aprender as regras básicas é muito fácil, aprender a jogar é outra coisa completamente diferente. O livro “Arte da Guerra” é completamente baseado nesse jogo, ensinamentos fantásticos desse livro best seller mundial vem dai. Vocês simplesmente não captaram a essência da coisa toda que está no jogo em si mostrado na obra e não nos personagens. No meu ponto de vista: Só leia ou veja se pretende jogar. O quê geralmente não acontece com outras obras (ex: quem joga muito futebol não vai gostar de animes de futebol… e por ai vai). O tempo de algumas partidas não é bizarro não (muito diferente do xadrez). Inclusive eu jogava no portal OGS e eu geralmente tinha 7 dias para fazer uma única jogada (jogava mais de 40 ao mesmo tempo; parei por falta de tempo mais vou voltar a jogar). O mais interessante para mim é isso, desenvolve a capacidade de processamento da nossa mente, exponencialmente. Enquanto jogando, lembrava de todas as 40 partidas ao mesmo tempo e cada sequencia de jogadas que levaram a tal configuração (montava minhas jogadas durante o dia sem nem ver o tabuleiro, e a noite somente ia para o PC executar os movimentos já planejados). E olha que antes de aprender a jogar nem lembrava do que tinha comido no dia anterior. No desenvolvendo software (minha profissão), fiquei um dos melhores do mundo usando conhecimentos do GO que aprendi com essa obra. Bom, se não tiver tempo para jogar é melhor ler o livro “Arte da Guerra” que já está tudo processadinho (só não está 100% completo), vai passar as mesmas lições principais.

    Outras considerações: A quantidade de dinheiro foi adaptado do manga para o anime por causa da época em que foi publicado cada um. A confusão no cast é válida (do valor apostado e por ai vai).
    Culturalmente falando, as famílias japonesas não se comunicam, guardar segredos é o padrão. O casais, geralmente, dormem em camas separadas (sexo é só para fazer filhos) para vocês terem uma ideia da união familiar (alguns dormem em andares separados). E mesmo se encontrando, as palavras são poucas (como se nem se conhecessem). Quase não tem conversa numa família japonesa (cada um fica na sua, e contato minimo).
    Roupas variadas em animes e mangas são para vender roupas, uma questão puramente comercial. Basicamente, se tem patrocínio ligado as roupas então eles vão trocar muito, senão só dificulta o desenho, portanto é irrelevável dada a questão financeira.

    • Entendo o que você quis dizer. Eu (Estupratom) joguei Xadrez minha vida inteira e participei de campeonatos, consigo me imaginar mais interessado se foce um manga sobre xadrez, com movimentos que iriam me fazer imaginar a partida e o tabuleiro, e não apenas a história. Essa Review foi feita com o ponto de vista de leigos em Go, que deve ser o caso da maioria dos brasileiros, e para pessoas como eu, que não tem o sentimento de aproveitar os movimentos da partida, uma historia que possui um enredo fraco, personagens fracos e com um final decepcionante não foi o suficiente para compensar minha falta de sentimento pelo jogo.

      Entendo perfeitamente sua opinião e a respeito. Muito obrigado pelo feedback, foi um dos comentários que mais me agradaram des da criação do site.

    • Hahaha, realmente, eu percebi logo depois de colocar online =( Me desculpe.

      Mas a opinião sobre a arte continua… Sei la… Apenas olhando para uma unica imagem de Death Note, Bakuman e Hikaru no Go, ja consigo julgar a dos dois primeiros MUITO melhor.
      Acho a arte de Hikaru bem shounen ~iniciante~ digamos assim…

  2. Acho que deveriam ter mais “estabilidade” em suas opiniões, pra não precisarem ficar falando “na nossa opinião”. Claro que vão ter ignorantes que não vão entender que é opinião de vocês, mas é óbvio.

  3. Li o manga e achei muito bom,mas nos últimos volumes decaiu um pouco, para ser sincero tb não o recomento a ninguém. Mas não posso negar que a leitura foi boa…. xD
    Partilho da ideia do Henrique, estou louco para conhecer obras desconhecidas,pois ultimamente estou só lendo porcaria.

    Obrigado echi must die pelo ótimo trabalho.

    • Continuaremos a lançar casts de obras “pouco conhecidas”, mas no momento, adianto que daqui a uma semana teremos de uma mais ou menos conhecida e de outra logo depois do mesmo estilo.
      Não sei o que você conhece por isso não posso afirmar se irá gostar ou não das nossas próximas recomendações, mas definitivamente comentaremos sobre obras muito boas ainda.
      Fique de olho.😉

  4. Olá!
    Primeiramente, gostaria de parabenizar o trabalho de vocês. Não conhecia e adorei a forma como foi construída. Acessarei mais.
    Conheci a história Hikaru no Go há mais de 7 anos e fiquei imensamente feliz quando a jbc lançou. Comprei e até hoje ( quando recebi o último volume) percorri toda a história. Tive muita dificuldade de comprar alguns volumes… acho que vocês devem lembrar da renovação do contrato com a editora brasileira. Encontrei depois pela internet, mas resolvi esperar (sei que foi idiotice), mas gosto da sensação de esperar, pegar.. enfim. No anime não gostei do traço, dos seiyus e ao ver o final decepção.
    Análise: tinha tudo para ser uma história perfeita. Mas, a sensação que tive ao acabar de ler: Sim.. cadê o final? Comprei o mangá errado? Tem nova temporada? Cadê a jogada dos deuses? Quem é o melhor? E como ficam os outros personagens? O romance com a Akari?
    E uma quebra do contrato de leitura imensa. Você se sente pego em uma pegadinha. Como se fosse uma lição no leitor que o go não terá fim, que o leitor pode chegar a jogada dos deuses e deixa tudo subentendido. Detesto isso.
    Até ele perder ao jogo com o Yong Há não faz sentido. “Unir o passado remoto… com o futuro longiquo.” Passei horas tentando me enganar que era algo positivo, mas minha frustação foi maior. Ao ler isso respirei fundo tentando achar alguma noção, mas quanto mais lia as histórias extras mais raiva dava. Falta algo. Deixa muito a desejar.
    Finalizando: acredito que a história tem pontos positivos: levantar a questão do go é uma delas. Momentos que mais me marcou: o desaparecimento do Sai (ele é o melhor personagem). Já o Toya, minha vontade era de bater nele. Sem evolução. Mas, o final frusta tudo, você acaba lembrando só dos erros.

    • Concordo com tudo o e que você escreveu. Após terminar de ler o manga, senti que estavam me tirando para otário. Quanto mais eu pensava a respeito, com mais raiva eu ficava, e mais eu abaixava a nota do manga.

    • O mangá não terminou…. Ainda tem continuação =D Eu fui na JBC e um moço que trabalha lá me disse que o mangá entraria em pausa e só voltaria ser lançado entre 2/3 anos… E todas as suas questões serão respondidas… Bom eu ja sabia disso pq qdo estava jogando Go online e joguei com um japones, fiquei mtooo feliz qdo ele disse que tinha continuação(foi aii que eu descobri e fui até a JBC) mas o MALDITO me deu um monte de spoilers principalmente O FINAL!! Que raiva!!!!! ¬-¬” Não vou da spoiler!! Mas acontece mtas coisas que tenho certeza que vc vai aproveitar… E tenho certeza que essa sensação que você tem pela obra vai sumir… Pq ela tem um final :))) E… Pq vc queria bater no Toya? Tadinhoooo D=

  5. Gente , vocês falaram besteira. ” Ah, uma criança, vê uma oportunidade de ficar famoso, pq ele nao pensou em ganhar dinheiro?” por volta de (11:00 )
    ELE TENTOU FAZER ISSO ! O HIKARU NO COMEÇO SO QUERIA DINHEIRO, O SAI que repreendeu ele. O Toya quase bateu no Hikaru quando ele falou que so ia jogar go pra ganhar títulos e ficar famoso.
    Vocês não prestaram atenção na obra, na boa.

    • Rapaz, falar que não “prestamos atenção à obra” apenas pelo fato de termos errado em um ponto é burrice.

      Erramos sim neste ponto, agora você me lembrou, e por isso, nos desculpe, agora, o ponto de Hikaru ser um “buxa” imbecil continua. Afinal, ele é um garoto que faz tudo por impulso (o que é bem normal para uma criança). O problema da obra, é que ela é um shounen “comum”, como todos os outros, onde personagens fazem coisas sem lógica, o que deixa alguns leitores mais “inteligentes” irritados, que foi o que aconteceu com a gente. Além é claro, de vários outros pontos fracos apontados por nós na review.
      Se você não concorda e acha a obra boa, O.K., mas vou repetir o que sempre dizemos: não importa se discorda ou concorda com a gente, apenas faça comentários EXPLICANDO e ARGUMENTANDO sobre sua opinião. Ou seja, se você gosta da obra, nos explique o porquê disso, assim teremos uma discussão prazerosa.

      Até a próxima.

    • Quer ouvir argumentos amigo? Então escute o podcast.
      Já cansei de gente que aparece por aqui criticando os textos. No próprio texto está escrito que recomendamos que escutem os podcasts. Os textos são apenas uma base para nosso leitores/ouvintes. Não temos como colocar opiniões citadas em uma hora e meia de áudio em um texto médio.
      E o pior, “Sem argumento algum”? É sério isso? Bom. Não estou aqui para dar aulas de nada, mas se pretende entender nossa “não recomendação” de Hikaru, apenas escute o podcast.

  6. Cara trabalho interessante desse Review, li a obra e concordo que no final ela despenca e nos trás um final sem final, se me fiz entender, mas isso infelizmente é um reflexo da realidade da industria do manga no Japão, o cancelamento da obra, muitos mangas, e são muitos mesmos, terminam com um final totalmente sem sentido e inesperado, porque como foi perfeitamente mostrado em Bakumam muitas vezes uma obra perde popularidade na votação e a editora cancela simplesmente, dando ao autor pouco tempo muitas vezes para finaliza-la descetemente, na época em que li o manga de Hikaro a anos atrás fiquei passado com o final e procurei saber se havia continuação uma “segunda temporada”, e descobri que não havia, e em um dos lugares que achei informações sobre a obra (infelizmente não lembro o site) comentava que a obra foi cancelada pela editora e não finalizada normalmente.

  7. Num mangá sobre go vocês esperavam realmente que a autora ficasse tratando de romances? A historia é um shonen, um gênero em que geralmente não ocorrem relacionamentos amorosos.
    Alem disso não acho que não haja evolução dos personagens. O Hikaru, que segundo o review não teve nenhuma mudança em toda a trama, na verdade muda bastante, começando como um delinquente desocupado que conforme vai aprendendo go ganha um proposito de vida, o que não o isenta de por vezes tomar decisões infantis, visto que ele tem apenas 15 anos.
    Também não acho que a autora tenha criado muitos coadjuvantes inúteis. Cada um deles representa uma fase na vida do Shindo que vai sendo superada conforme ele cresce como jogador, tendo que deixar pra trás até o seu mestre, Sai, para seguir seu próprio caminho. A autora até aproveitou alguns desses personagens e fez capítulos só deles.
    Uma das únicas coisas que eu acho que o mangá pecou é ao trabalhar pouco o personagem Sai, que em minha opinião é o melhor da historia, mas que desaparece no meio da historia e não consegue alcançar o objetivo. Fiquei esperando pelo reencontro dele com o Hikaru pelo reso dos volumes e apesar da autora dar uma indicação de que isso acontece, na ultima pagina do ultimo volume, fiquei triste por não ser mostrado.

    • Não concordamos que isso seja uma “evolução” no personagem digna de uma manga bom. É claro que ele evoluiu. Todo mundo evolui, mas Hikaru praticamente continuou o mesmo garoto que sempre toma decisões infantis o tempo inteiro. Nos meus quinze anos de idade, tomava decisões iguais as que tomo hoje em dia. Eu sou super pica? Será que deixei de amadurecer? Não. Eu simplesmente fui uma pessoa lógica que aprendeu com os próprios erros e que pôde evoluir bem. Hikaru não faz isso.
      E quer dizer que só porque é shounen não pode ter romance? Não entendi isso agora. Você mesmo falou, “ele tem apenas 15 anos”. Qualquer garoto de 15 anos se apaixona. Isso é a coisa mais normal do mundo, mas em Hikaru no Go a autora foi mongol e botou a amiguinha se importando com ele e ele ligando o foda-se, como em todo shounen babaca que o garoto nunca percebe porcaria alguma e que nunca se interessa por uma garota. Shounens babacas são assim. Leia alguns mangas melhores que entenderá. Até alguns shounens apresentam bons romances bem desenvolvidos.

      É óbvio para mim que Hikaru no Go deve ter sido muito bom para você, e acredite amigo, ninguém gosta de ver um manga que considere bom ser mal falado até a morte, e principalmente, muito poucas pessoas ACEITAM os pontos fracos dos mangas que gostam. Alguns mangas simplesmente são lotados de pontos fracos, e isso não lhe impede de gostar deles, nós também gostamos de algumas coisas tecnicamente ruins.
      Não aprovamos Hikaru no Go por vários pontos fracos que a obra apresenta e por não conseguirmos nos conectar nem um pouco com os personagens (isso já é algo próprio). Caso tenha gostado, bom para você, mas tente entender nossos pontos, pois essa é a diferença do público e lê e escuta o que lançamos. Eles podem até discordar em questão de gosto, mas entendem perfeitamente os pontos técnicos que normalmente citamos de algumas obras.

      • Não disse que só porque é shounen não pode haver romance. Disse apenas que a historia não precisava disso. A historia é sobre a evolução de Hikaru no go e como pessoa.
        Também não acho que só porque o protagonista é desatencioso que o mangá se torna um “shounen babaca”. Você há de convir que pessoas de 15 anos não são as mais atenciosas do mundo e por vezes não conseguem ver o que está explicito.
        Não ligo que critiquem as obras que eu gosto contanto que ache os argumentos validos, como por exemplo as criticas feitas a falta de evolução do Akira, mas acho que no todo a obra foi boa e teve momentos memoráveis.

        • Mas não é questão de argumentos válidos nestes pontos que você citou. Comentamos que por causa de tais atos, que você concorda que aconteceram, o personagem nos irritou, e esse é um sentimento bem pessoal. É claro que nem todo mundo se irrita com um moleque de 15 anos que não toma uma decisão inteligente e que chega a “largar” os amigos pra jogar um jogo de tabuleiro, mas nós nos irritamos com isso, e muito. E a questão de momentos memoráveis que você citou é a mesma coisa. Para nós, nada foi memorável naquilo, por isso nossa nota foi mais baixa. Minha nota para obra é um 6, o que significa algo como “legalzinho”. Não achei o manga horroroso. Só não acho que vale a pena ser recomendado como uma boa leitura.

    • Mr. Hykru, o mangá no Brasil entrou em pausa… ainda tem continuação :)) provavelmente voltará daqui dois ou tres anos(eu sei mtooo tempo ;-;)
      -SPOILER —– SPOILER— SPOILER —- SPOILER —- SPOILER-
      O Shindo se reencontra com o Sai e…. não vou contar .-. hehehe

      • Na verdade o mangá acabou (no Japão) em 2003. E no Brasil a JBC já publicou o mangá na integra, ou seja, o final é esse mesmo.

  8. Já li Hikaru no Go, e o que mais me decepcionou na obra foi o fato dela não ensinar praticamente nada sobre como se joga “GO”, geralmente mangas tematicacos como esse, ensinam bastante sobre regras, estrategias e outros detalhes sobre o jogo/esporte/tema em questão, já em Hikaru no go mesmo depois de ler a obra inteira continuei praticamente um leigo sobre a jogabilidade desse jogo de tabuleiro.

  9. O foco de Hikaru no Go não é jogo em si, mas os personagens. Eu sei que o autor dessa review afirmou que o desenvolvimento dos personagens não foi satisfatório, algo com que não concordo, até pelo próprio desenvolvimento moral que o Hikaru demonstrou ao longo do título, passando de um moleque mimado e impulsivo para um jovem mais ponderado. Mas concordo que o final foi inconsistente, e afirmo que o mangá até merece uma continuação para desenvolver melhor os pontos que ficaram em aberto, como a jogada divina, a rivalidade entre Hikaru e Toya e o famigerado romance com a Akari, que a autora passou a obra inteira construindo (Hikaru só começou a dar mostras de que se importava nos volumes finais) e deixou inacabado. Em suma, o jogo é apenas um plano de fundo para a obra.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s