EMD Cast #40: Junji Ito (o rei da sonda anal)

Fala galera! Trilles aqui novamente iniciando MAIS UM “projeto” no site.
Na série “Desmascarando”, comentaremos sobre mangakas. Alguns ótimos, alguns muito ruins, TODOS discutíveis. Basicamente nosso objetivo é mostrar tudo que esses mangakas têm de ruim e de bom, recomendando a leitura de suas obras ou não.
Comentaremos sobre suas artes (técnicas de desenho), seus enredos (como eles os desenvolvem) e muito mais!
E para começar, por que não começarmos com o que muitos chamam de “Rei do Horror”? O cara que já ganhou muitos prêmios, coleções enormes e que já vez várias obras diferentes, uma mais bizarra do que a outra?

Para abrir com chave de ouro esse novo projeto do Ecchi Must Die, eu lhes apresento o nosso Desmascarando Junji Ito!

 -> PODCAST <-

Lembrando que recomendamos que baixem nossos podcasts.

[ERRATA: TROCAMOS OS TERMOS HORROR E TERROR UM MILHÃO DE VEZES NO CAST. SE GUIEM PELO TEXTO POR FAVOR. NOS DESCULPEM.]

Para fazer o DOWNLOAD e/ou ESCUTAR ONLINEBox.

*As informações desse cast podem ser encontradas no final deste post.

-> TEXTO <-

Junji Ito, nascido em 31 de julho de 1963, é um mangaka que fez e ainda faz muitas obras de horror (e não terror, tem diferença). Suas obras mais conhecidas são: Uzumaki, Tomie e Gyo, a última tendo até ganhado um anime recentemente.
Suas obras também receberam várias adaptações, dando ainda mais reconhecimento ao autor.

Junji Ito diz ter sido inspirado por vários autores. Dentre eles, Kazuo Umezu seria o mais importante, cujas obras até hoje tem um estilo “bizarro” assim como os mangas de Junji Ito. Um exemplo seria Fourteen, uma obra de Umezu sobre um homem-frango chamado George.

O problema nas obras de Junji Ito não ocorrem apenas em suas bizarrices, até porque, tem quem goste. O autor tem uma imaginação gigantesca e utiliza ela em todas as suas obras, normalmente criando cenários bem diferentes e alguns até muito interessantes, porém, a forma como ele narra suas estórias se torna muitas vezes maçante, jogando muitas informações e, principalmente, muitas cenas chocantes em pouco tempo para o leitor. Conseguimos ver cenas repetitivas em poucos capítulos de seus mangas, e mesmo alguns não considerando isso um ponto fraco, é algo que automaticamente suaviza o “momento surpresa” da leitura.
O autor costuma colocar nas primeiras páginas de seus mangas grandes choques, o que influenciam muitos a continuar lendo suas obras. Porém, tais choques “tiram um pouco da graça” de suas obras, o que acabam transformando a leitura em algo cansativo e seu início em uma grande “pegadinha do malandro”, atraindo “leitores inteligentes”.

Uzumaki

Outro problema do autor é a sua arte. Em Uzumaki (imagem acima), a arte do autor já sofreu ótimas mudanças e teve uma ótima evolução, porém, além de continuar não sendo nada de mais, apresentando vários erros em anatomia, cenário e outros, ela continua sendo uma repetição de outras obras do autor, não alterando nada em seu estilo. Mudança que podemos perceber no trabalho de outros autores, como o genial Takehiko Inoue (olhando para Slam Dunk e Vagabond) ou até mesmo o não tão genial Takeshi Obata (olhando para Death Note e Bakuman), os dois apresentando mudanças gigantescas em seus traços nas obras citadas.
E como dito antes, em Uzumaki o autor teve uma boa evolução, mas e sua arte em suas obras antigas, como a aclamada Tomie? Só tenho uma palavra para caracterizá-la: PORCA!
A imagem abaixo é apenas uma imagem aleatória do primeiro capítulo do manga. Ela apresenta os erros que me fizeram dropar a obra sem nem terminar de ler este capítulo.
Personagens sem ossos, que podem se contorcer dos jeitos mais bizarros possíveis, com uma anatomia completamente ferrada. Uma utilização de tons porca, que muda parecendo a coloração do novo anime de Jojo’s Bizarre Adventure. E para completar e piorar ainda mais, o manga praticamente não apresenta cenários. A página abaixo tem um mínimo de cenário onde os personagens se movimentam, mesmo assim, ele é porcamente desenhado e mal feito, e se pegássemos outra página qualquer do primeiro volume inteiro da obra, as chances da imagem não conter cenário algum e apresentar apenas fundos brancos são enormes.

Tomie

No podcast que fizemos para este especial, comentamos sobre as três obras mais importantes do autor (Uzumaki, Tomie e Gyo) e sobre outras que tem até uma qualidade melhor que essas principais. Além disso, explicamos seus erros, suas qualidades, falamos de sua arte nas obras e de sua evolução, e do desenvolvimento de seus enredos de forma mais detalhada que no texto acima.

Abaixo, deixarei imagens de algumas das obras citadas no podcast. Inclusive, o motivo para ele ser considerado (por nós) o Rei da Sonda Anal. Recomendamos que escutem o podcast.

Gyo

É sério, assistam a todo o vídeo, por favor…

Cat Diary

Mimi no Kaidan

Hellstar Remina

É pessoal, por causa dos motivos citados no texto e por muitos outros citados no podcast, passamos muita raiva ao ler os “trabalhos” de Junji Ito. As estórias, o traço, o desenvolvimento do enredo, TUDO nos incomodou, e esperamos nunca mais ter que ler outra obra desse cara em nossas vidas.
Para as pessoas que consideram Junji Ito um ótimo autor de obras de horror, devo repetir o que já comentei no cast: “Provavelmente vocês ainda não leram obras boas, e por isso colocaram Junji Ito na frente.”

Na terça-feira da semana que vem traremos um especial muito importante, iniciando outro projeto do EMD, o Analisando Gêneros. Que servirá para falarmos de BOAS obras de um gênero citado [normalmente obras pequenas que não teriam um cast, de até três (3) volumes], explicar as diferenças que sempre comentamos sobre gêneros e citarmos características dos gêneros e muito mais.

Na “primeira edição” do Analisando Gêneros da semana que vem, falaremos sobre o gênero terror, que é diferente de horror e que muita gente nem sabe o porquê. Citaremos obras que, diferente das de Junji Ito, realmente tem uma boa qualidade de enredo e de arte. E embora preferirmos terror a horror, é como eu disse anteriormente no podcast, “Junji Ito continua sendo ruim”, e não deve ser colocado como um bom autor ao ser comparado com outras obras ruins.

Até a próxima. Bons mangas e bons animes.

Só porque tudo é ruim, o “menos ruim” não se torna bom. Ele é apenas o menos ruim e ponto final.

Junji Ito, DESMASCARADO!

68 pensamentos sobre “EMD Cast #40: Junji Ito (o rei da sonda anal)

  1. Hhahaha muito bom esse cast! Parabéns novamente a equipe!

    Que autor mais bizarro!
    E esse Gyo, meu Deus que vídeo mais esdrúxulo!
    Tomie… eu nem entendo muito de arte, mas só de ver essas imagens deu até dor nos olhos!!!
    O cara só faz obra Underground e Trash, muito obrigado por falarem deste Autor, porque pretende passar longe das obras dele ehehehehe, inclusive depois de ver esse vídeo de um monte de gordo em banheiras ambulantes!.
    E na boa, nada contra, mas o cara tem que ter um gosto exótico mesmo para ler as obras desse autor. Eu nem curto esses tipos de obras extremamente viajadas e bizarras.

    Muito obrigado por mais um cast! Um abraço a todos!

    • Haha, obrigado. Gostaria que todos entendessem o que falamos assim como você. Tem gente cabeça dura que olha para Tomie e diz, “Ah, não tenho problemas com a arte.” Acho simplesmente impossível NÃO TER PROBLEMAS COM AQUELA ARTE!

      • A arte do primeiro capítulo pode ser uma merda, e isso não tem como negar, mas a partir do 4º capítulo ela vai melhorando consideravelmente. Tanto que em Uzumaki os traços deles são muitos bons (bons, não ótimos). Esse vídeo que mostra Gyo é realmente uma merda, até porque as obras de Junji Ito não servem pra ser adaptadas pra animes ou coisas do tipo. Acha as obras dele viajadas e bizarras? Nunca viu Tokyo Akazukin então e_e

        • Junji Ito para mim é um daqueles poucos casos em que, ou você gosta muito, ou odeia. Justamente por seu estilo que, em nossa opinião, foi bizarro além da conta.

          Obrigado pelo feedback. =)

  2. bem, eu reconheço que o traço é ruim, mas curto muito o estilo trash , tosco e bizarro dos mangás dele.em Tomie , concordo que o traço é insuportável, tanto que droppei no 3 capitulo.por conta disso a história também ficou muito confusa por causa do desenho. em uzumaki, a primeira obra que li dele , achei o traço bem melhor, onde o traço deixa de ser tão ruim como tomie e passa a ser bizarro e tosco, não sei oque aconteceu, mas foi uma obra que curti muito ler.
    em gyo, achei a história meio fraca, e nos desenhos as vezes do desenho fica muito ruim, chegando a quase o nível de tomie, foi o mais trash que li dele, as vezes ficava muito incomodado com as cenas do mangá(quem leu sabe) e achei que terminou de um jeito bem ruim. bem não sei porque, mas continuo gostando das obras deles, pois algumas ideias acho bem criativas, como em “o triste conto do pilar principal”, que curti muito
    enfim, obrigado pelos podcasts, curto muito o jeito extremamente critico que você analizam as obras, mesmo muitas vezes discordando das opiniões

    • É bem como comentei no texto. Gostar ou não dos exageros nas obras de Junji Ito já é algo pessoal, pois tem quem goste, mas que existem muitos pontos fracos em suas obras, existem.

      Muita gente gosta de ecchi. Muita gente gosta de shounen de porrada. Muita gente gosta de terror, principalmente os de Junji Ito. Gosto é sempre algo próprio. Apenas tentamos dar pontos técnicos sobre as obras de todos os gêneros, para que aí as pessoas possam escolher se devem ou não seguir nossos conselhos.

      Obrigado por compreender e pelo bom comentário.

      Até a próxima. =)

    • só corrigindo uma coisa, o mangá que dei como exemplo é “o enigma da fenda de amigara” então o triste conto do pilar principal, como disse no comentário. só pra complementar esse comentário acho que ele tem boas idéias, mas não consegue desenvolve-las bem, e reconheço que ele é ruim, mesmo gostando de alguns mangás deles(acho que fui repetitivo)

  3. Caralho quem gosta dessas merdas tem problemas mentais só pode ^^
    tenho varios amigos que falam que Serial Experiments Lain é fantastico …Qual nota de 0 a 10 vcs dariam para a obra ? tou com um pé atraz pode ser um merda ^^

  4. Não o tenho o costume de comentar os casts,porém quando me deparei com esse,decidi fazêlo-o,não propriamente por conta do autor comentado ou qualquer obra contida no post,mas sim pelo modelo do cast em si tendo me chamado atenção.

    Digo isso por que,analisando critica e friamente(o estilo de reviews do EMD)comentar o autor propriamente dito,abre um espaço mais amplo e claro para se falar sobre suas características como arte e a evolução nela,o enredo e a capacidade do autor de criar e/ou desenvolvê-lo,-visto que esses são temas bastante técnicos,e que um autor em cada obra tem alguma mensagem diferente por trás a passar,e que,dificilmente algum segue a mesma em todas elas.

    Uma duvida,na serie de casts,serão comentados autores que só tem obras ruins e são overrated-como o já citado Junji ito-ou autores que ,também tem obras ruins porém já criaram boas obras?E outra bem boba,poderia ou vai haver um episodio do desmascarando em que vocês usarão para elogiar por completo o autor?ou seja,o desmascarando também vai ser usado para falar bem dos autores selecionados?

    Em tempo,escuto o cast desde a postagem do video review de gunnm no youtube,pórem nunca comentei,é o meu site sobre animes/mangas/reviews e podcast preferido a tempos.

    ps:ansioso para e escutar o que vão falar sobre Mitsuru adachi,um dos meus autores e (pasmem)um dos meus desenhistas favoritos rsrsrs.

    ps2:nunca li nem lerei nada de junji ito!,passarei longe dessa bosta kkkkk

    • Primeiramente, obrigado por finalmente comentar por aqui! Hahaha. Agora, sobre suas perguntas, comentamos isso no podcast, mas falaremos sim de ÓTIMOS autores por aqui, assim como falaremos de autores com obras boas e outras ruins.
      Sobre o Adachi, não posso garantir que receberá um cast dele logo, apesar de um já estar marcado, mas dou o spoiler de ser o pior autor da face da Terra para o Estupratom, e para (talvez) conseguir defendê-lo, terei que ler alguma(s) obra(s) dele. Porém, sinto muito, mas em questão de arte, não preciso ler para criticá-lo, e críticas boas sobre o assunto você não irá ouvir, infelizmente. =(

      Novamente, muito obrigado pelo ótimo comentário. Espero que apareça mais por aqui.

      Até a próxima! =)

      • Ele não é o pior autor da face da terra, mas ele é muito over rated. Li diversas obras dele, e quanto mais eu lia, mas eu pensava estar lendo o mesmo manga, só variando o esporte. Individualmente, as obras do Adachi tem qualidade, mas se você ver elas como um todo, falta originalidade, criatividade e técnica.

  5. Caraleo, minha família só me faz passar vergonha TT_TT
    Acho que essa é a segunda vez que a Nana (minha irmã) faz uma participação especial nos casts…
    Eu chorei de rir com toda a história da árvore de natal, obrigada Nana por tirar do mudo o skype e compartilhar essa conversa com o mundo.
    Agora sobre o cast, nunca fiquei tão feliz por não ler uma obra. Quase que li Uzumaki, mas quando vi algumas imagens desisti na hora. Mangá nojento!!!!!!
    Esse autor não é o meu estilo. Nunca vou ver nada dele.

  6. Gostei do novo “projeto”. 😀

    Mas então, realmente também não sou Fã do Junji e sem falar que até agora não terminei Uzumaki por ser entediante, não que seja ruim(nem li tudo ainda), mas só que ele não me prendeu a leitura. :/

    Ae, que tal vocês fizerem isso também sobre Urasawa Naoki?
    Ele é um Mangaká com obras interessantes, como: Pluto, Monster e Century Boys. Bem, esses são os que eu li pelomenos. rsrs

  7. Não sou muito fã do genero, tentei ler algumas obras dele, mas suas premissas ruins e , mesmo não ligando muito pra arte, ela me encomodou bastante, muito mesmo .
    Gostei do novo projeto, será interessante ver varios mangakas sendo “desmascarados”.
    Não expectativa pelo proximo o//
    bye .

  8. Poxa, não gostei de vocês falarem mal de Junji Ito mas reconheço os seus erros e sei que sou meio maluco por gostar das obras dele.

    Eu comecei lendo os One-Shots dele e comecei a pegar outras de suas obras e ficar mais e mais fã dele.

    e eu gosto não é meio porquê é bom ou ruim eu leio e gosto pq acho suas obras muito interessante

    Mas vocês gostaram de pelo menos alguma obra dele? ou acharam todas horriveis?

    e pessoal antes de dizer que não querem nem passar perto das obras do autor deviam dar pelo menos uma olhada em alguns One-Shots e conhecerem mais um pouco.

    Vou mandar alguns:

    The Enigma of Amigara Fault
    Mystery of the haunted house
    Aprovall
    Voices in the dark

    • Doidim, se você escutar o cast, você perceberá que lemos todas as obras listadas. Não recomendamos apenas a leitura do texto, ele é apenas um complemento para o cast. Eu, o Lucas e o Gutinho, contando a leitura dos três, nós já lemos quase todas as obras do Junji Ito. E todas as obras citadas no texto são discutidas no cast.

      Também falamos dos seus pontos fortes, e comentamos que é normal as pessoas gostarem das obras deles, uma obra pode ser fraca tecnicamente e ter fãs.

  9. Mais uma vez, grato pelo cast. Ri litros com o senhor da “sonda anal”!😀
    Não tenho muito o que comentar sobre o autor, porque nunca li nada dele (quase li uzumaki, quase…). Não sei se faria diferença pra mim a arte, eu li os caps de HxH semanais que o Togashi desenhou “doente”, e sei que aquilo era mais um sketch sem arte-final (falei os termos corretos Lucas? ^^’) do que tudo. Por isso sei que dá pra negligenciar a arte de uma obra se algo na história for envolvente pra quem está lendo. No entanto, o motivo pelo qual ainda não li nada dele, apesar da propaganda das obras no Chrono, é que não curto o gênero horror/pesadelo/macumba-da-sonda-anal do autor.

    • Sobre o termo “sketch”, entendi o que você quis dizer, só que o termo não se encaixa, já que um sketch é um rascunho, ou seja um desenho não finalizado e que ainda pode sofrer mudanças, e que são geralmente usados como inspiração, sendo mais usados na criação de personagens e cenários, sendo assim os desenhos toscos que o Togashi faz, são esboços que não foram finalizados quanto ao traço, mas foram arte-finalizados já que foi passado o nanquim.

      • Interessante. Então quer dizer que os esboços foram arte-finalizados (aplicado o nanquim), mas não passaram por um processo de “detalhamento” do traço como o visto nos mesmos caps dos volumes?
        Isso explica algumas coisas… mas você consegue explicar, por exemplo, o desenho da habilidade “Dr. Blythe” do Pitou ser só uma “massa disforme” durante a cena da infiltração do Novu, e ter a forma mais detalhada depois no volume? A principio, me parece um sketch (da forma como você definiu, ou melhor, como eu entedi que você definiu).

      • O que acontece é que os esboços passam por alguns nives de detalhamento, obvio que isso depende do tipo de esboço, então o que aconteceu com a abilidade da pitou foi simplesmente o Togashi resolver desenhar um pouco mais, isso se assemelharia a um sketch caso a forma da habilidade tivesse mudado em um contexto geral, mas se isso acontecesse seria feito antes e em cenas já prontas, por isso sketchs não são feitos em mangas, e sim na criação de personagens e cenários, além de base para o que será feito no mangá, o que torna impossível ter skatchs no mangá durante a história, apesar de poderem ser apresentados ao final dos volumes como extra.

  10. Opa!
    Frankenstein mas não é realmente dessa forma?
    No livro, o monstro de Frankenstein vai atrás do Victor (criador) para que ele crie uma noiva para ele, justamente pelo mesmo motivo falado no cast. No filme clássico (com o Karloff) isso muda um pouco, mas ainda tem uma continuação chamada ” Uma noiva para Frankenstein”.
    Eu não vi filme de ’94, mas ACHO que segue o enredo do livro.
    Ao que me parece, o ‘sonda anal’ seguiu o roteiro original da história…
    Eu ainda tenho que ler o mangá para ver se é bom ou ruim.
    Enfim, falar que o autor “fodeu” a história o monstro de Frankenstein me pareceu um equívoco.
    Mas fora isso, o cast foi bom. Como eu só li Uzumaki (e gostei, riam de mim) eu não vou comentar muito sobre o autor, mas lerei mais coisas dele.

    • Bem você não está errado em seu comentário, Junji Ito realmente se baseou na história original de Frankenstein, só que o autor acaba por distorcer a personalidade original do Frankenstein, no livro de Mary Shelley, o monstro Frankenstein fica alternando comportamentos de mais pura bondade e desejo de aceitação, para os de mais puro ódio e vingança, já no mangá de Junji Ito, isso é muito mal trabalhado, fazendo com que Frankenstein pareça ser uma criatura má por natureza, não havendo aquela duvida de quem é o monstro, se é a criatura ou o criador, além é claro da arte que não combina nem um pouco com a história.

  11. Tenho que para de escutar o cast de vcs no celular.
    O povo ta achando que uso dorgas só pq eu não consigo parar de rir. Mas essas risadas são por um motivo nobre. Gyo.
    Vlw por todos os casts anteriores, estavam ótimos.

  12. Discordo muito de vcs. As histórias são bizarras? São. Ele se incomoda em por logica? não. O desenho é bom? tbm não. Vendo por esse lado ele é um autor ruim, ñ posso defende-lo nesses aspectos, mas por pior que ele seja, Junji Ito é otimo.
    Explico,por pior q seja a logica nas obras, ele compensa com um aspecto. Diversão. Creio q não seja o caso de vcs, mas eu sempre me divirto lendo Junji Ito. não consigo ficar indiferente a nd q ele crie. Ou eu morro de dar risada (Hellstar Remina por exemplo, começa bem e depois esculhamba de um modo epico) ou fico tenso com as coisas escrotas q ele coloca (cena dos caracois em uzumaki por exemplo). É preciso aprender a ler Junji Ito pq ñ há (não conheço pelo menos) nenhum autor q faz oq ele faz. Eu gosto muito do Ito pois ele é original e msm q a logica não exista(bato nessa tecla pq realmente quase ñ há logica nos mangás dele) não acho irritante. Foi estranho no começo, contudo entendi o estilo dele com o tempo e isso adiciona o fator surpresa. Nos mangás dele QUALQUER COISA pode acontecer.
    Ainda não escutei o cast, mas com certeza vou fazer.
    Só tenho uma critica em relação ao texto. Entendo que não gostem dele, compreensivel. mas me senti ofendido com “Provavelmente vocês ainda não leram obras boas, e por isso colocaram Junji Ito na frente.”. Não vou ficar flando coisas como “já li mais mangás q vcs”, primeiro pq nem sei quantos mangás eu já li, segundo pq sei muito menos quanto vcs ja leram. Mas de uma coisa eu sei, eu já li um numero consideravel de obras (seinens inclusos) e Junji Ito ainda é um autor q eu gosto. Como eu disse, ele me diverte. Vcs tratam as pessoas q apreciam ele como inferiores e isso nunca é legal (a não ser q estejamos falando de narutards). Ele é uma leitura descompromissada.
    Finalizando: Junji Ito não é um autor mainstream, logo não deve ser lido como tal. Um shonen deve ser lido como um shonen, um shoujo como um shoujo e um seinen como um seinen. Para mim vcs apenas não entenderam como ler as obras dele. Para mim ele ainda é um genio por fazer as coisas de um modo tão peculiar e proprio.
    Espero q tenham entendido meu ponto de vista. E gostaria de flar q gostei muito desse novo espaço. Gostaria de pedir casts sobre Mitsuru Adachi (Touch, H2, Katsu…), Ai Yazawa (Nana, Kagen no Tsuki, Tenshi naka janai…) e o grande mestre Urasawa tbm.
    Abraços para td a equipe.
    FLW

    • Primeiramente, gostaria de comentar que você não deveria fazer um comentário como esse sem nem escutar o podcast, e tendo somente o texto como base, já que o texto não passa de um apanhado de tudo o que falamos no cast. Mas agora sobre o seu comentário em si, comentamos tanto no cast quanto no texto, que gostar ou não das bizarrices de Junji Ito vai do gosto pessoal, e cada um tem o seu, mas quanto a ele ser original, sim ele tem obras de autoria própria, mas obras como Frankenstein, Mimi no Kaidan e Voices in the Dark, foram todas criadas de obras já existentes, ou seja ele não é um cara tão original assim, e sobra fazer o que ele faz, sim há autores que fazem obras como as dele, um exemplo claro disso é Kazuo Umezu, autor que é inspiração do próprio Junji Ito.
      Agora é meio hipócrita da sua parte dizer que se sentiu ofendido, e que nos colocamos como superiores aos que gostam dele, sendo que você mesmo não vê problema caso façamos isso com Naruto. E sobre seu conhecimento sobre mangás é o bastante para dizer que ele é um ótimo autor, sendo que nós só dissemos que quem gosta dos mangás dele provavelmente ainda não leram obras boas, e por isso colocaram Junji Ito na frente, é porque nós realmente vimos quase todas as obras dele, e também vimos muitas obras do gênero, além de que no post de terça, no Analisando Gêneros, sobre horror e terror, falaremos sobre obras de alto nível, comprovando o que dissemos sobre os mangas de Junji Ito.
      E como você mesmo disse, analisamos Junji Ito como um mangaka de terror e é por isso que ele é um autor de terror tão fraco, além é claro de péssimo desenhista.

      • Bem Lucas, claro q gosto vai de cada um. Não disse que não entendo o pq de vcs não gostarem dele. É bem obvio. Eu só quis dizer que as obras dele são interessantes por serem bem bizarras. Mas a razão de gostar dos mangás dele é q as 3 principais obras dele dão um certo sentimento de claustrofobia, entende? Eu acho isso fundamental para um suspense, por isso não acho ele um autor ruim. Eu me sinto mais preso com as obras dele do q com obras como another, q anda fazendo bastante sucesso e mais do q o proprio Kazuo Umezu. Acho interessante ele fazer terror sem apelar para fantasmas (claro q nem tds as obras são assim).
        E msm ele fazendo histórias já existentes, não muda o fato de q ele é sim original. As coisas dele chegam a ser ficção cientifica as vezes.
        Eu sinto muito se ofendi vcs, mas oq eu escrevi foi apenas sobre o texto. Ainda vou escutar certinho o cast e dizer oq eu acho.
        E sobre naruto, eu só tava de brinks. Eu só falei pra descontrair msm.
        Eu ainda o acho um genio do terror pq ele é um autor q sabe fazer coisas perturbadoras. Uzumaki e Gyo me deixaram meio estranho e tenho certeza q não estou sozinho nisso.
        Se vcs conhecem coisas piores e q não apelam pro gore, eu gostaria muito de conhecer.
        O post sobre terror chega na terça certo? Estou ansioso por isso. Espero q vcs estejam certos e tenham autores melhores q ele, pq tds os q eu li até hj não me conseguiram me surpreender tanto quanto o Itou.
        Flw

        • Thales, você “brincou” sobre Naruto, mas infelizmente aquilo é uma verdade. Você não pode se sentir “ofendido” apenas por um comentário nosso, sendo que deixamos bem claro que é muito possível pessoas gostarem das obras dele, PORÉM, como poderá ver no post de terça-feira (que não é de terror, e sim de horror, mas que também terá obras de terror sendo comentadas), existem várias obras no estilo “suspense” mais tensas do que Junji Ito, que funcionam melhor, que tem uma arte mil vezes superior, mas eu devo repetir, várias pessoas amam Naruto, Bleach e Fairy Tail, mas as obras são TECNICAMENTE ruins! Junji Ito é simplesmente a mesma coisa, amigo, e sim, com certeza você não está sozinho nessa, assim como os vários fãs de Naruto, Fairy Tail e Bleach. Ele é um autor TECNICAMENTE ruim, mas ninguém lhe impede de gostar do que ele faz.

          E para encerrar a discussão, só devo dizer que tecnicamente falando, Another também é bem mediano, assim como Junji Ito. E não, nós não nos sentimos ofendidos. É apenas a sua opinião. Só não venha dizer que VOCÊ se sentiu ofendido com nosso comentário, pois já repetimos mais de mil vezes que gosto é algo pessoal e que criticamos as obras de forma técnica.

          Ah, só mais uma coisa, sobre o seu comentário para a Jéssica. “sem apelar para violência excessiva”?? Sério mesmo que você disse isso? Primeiro capítulo de Tomie ela é esquartejada, DUAS VEZES! Em Uzumaki no segundo capítulo a mulher se mata perfurando o próprio tímpano! SEM APELAR PARA VIOLÊNCIA EXCESSIVA??? Por favor…

          No mais, obrigado pelo comentário e por mostrar sua opinião. Até a próxima.

    • Eu sei que o Lucas já te respondeu e eu nem participei do cast, mas vou responder do mesmo jeito ^^
      Você diz todos os defeitos do cara e ainda diz que ele é bom? Bem que falam que gosto é que nem cu, cada um tem o seu….
      O Tio ito é um autor de terror/horror, então vamos analisa-lo como tal. Resultado, o cara é ruim. SE fossemos analisa-lo como um autor de comédia, ele seria ótimo. Sabe aquelas comédias Trash? Ele seria o rei do gênero…
      Você fica tenso com as coisas escrotas que ele coloca? Sério? Ok, mais uma coisa estranha que vejo…
      Concordo plenamente quando vc diz: “shounen deve ser lido como shounen, etc” Por isso que os meninos que fizeram o cast leram Tio ito como terror/horror, e é exatamente por esse motivo que o cara é ruim. Ser bom em comédia sendo que deveria ser bom no terror só mostra que ele não sabe fazer nenhum dos dois. Quem sabe um pouco de tudo, no fim não sabe nada.

      • Fiori, não sei bem se aquilo são bem defeitos. Eu vejo mais como estilo sabe?
        Ele com certeza faz uma comedia thrash (acho q ele faz isso inconcientemente), mas ainda o acho um bom autor de terror, por conseguir tantos fãs sem apelar para violencia excessiva por fazer coisas tão loucas. Tirando Tomie eu não acho os desenhos dele tãooooo ruins. Ñ são bons, mas dá para entender oq está desenhado. Já leu FLCL? Aquilo eu considero um desenho pessimo.
        Claro q gosto é de cada um e com certeza respeito o de vcs.

  13. Eu tenho de ver esse podcast inteiro pra discutir com argumentos pois li uma grande parcela de mangás e algumas obras dele se destacam por serem as únicas que realmente me deixaram horrorizados até o momento.

    “Você fica tenso com as coisas escrotas que ele coloca? Sério? Ok, mais uma coisa estranha que vejo…”
    É tão difícil assim aceitar que existem pessoas deferentes de você amigão? kkk so adultao n mi assusto, arte porca e e mto bizarro, eh ruim derp.

    É até engraçado ver que vocês estejam realmente tentando provar que dum “ponto de vista objetivo, o autor é ruim”, sim eu sei que vocês vão falar “veja o podcast, blabla” e eu o verei. As expressões faciais em particular são bem expressivas e o tracejado/arte dos olhos bem diferenciado dos demais autores. E como eu ri ao ler que ele não tem “uma boa qualidade de enredo”, isso vindo do escritor que disse ter dropado mangás dele no começo por não aguentar a arte (é nesse momento que você fala, “eu não li mas os meus muguxos leram e me disseram que é falho” ou ” li outras obras dele por isso posso aplicar o mesmo conceito para todas as obras”).

    A quantidade de comentários do tipo “obrigado pelo aviso, passarei longe das obras dele” é de doer os rins. Não sabia que tinha tanta gente sem opinião própria pra ler e decidir se vale ou não a pena checar por si mesmos, as ovelhinhas seguem o que o pastor manda né.

    “Para as pessoas que consideram Junji Ito um ótimo autor de obras de horror, devo repetir o que já comentei no cast: “Provavelmente vocês ainda não leram obras boas, e por isso colocaram Junji Ito na frente.”

    Melhor lógica impossível. Eu e mais um monte de companheiros da Myanimelist que leram centenas de mangás deveríamos odiar o tio Ito! Nós obviamente não lemos o suficiente de terror/horror pra decedir que ele é um bom autor. Texto muito informativo, continuem assim.

    • A diferença, caro amigo, é que no texto, eu tento passar a opinião GERAL DO GRUPO, e não apenas minha, por isso comentei que o desenvolvimento em suas estórias não é bom. Não é bom na opinião do grupo EM GERAL. Não sei se já conhece nosso site ou não, mas essa sempre foi e ainda é a ideia.
      Além disso, como você mesmo citou, no podcast explicamos tudo de uma forma melhor.
      E mais, sobre o fato de ele ser um autor tecnicamente ruim, principalmente por sua arte, ter uma arte “diferenciada dos demais autores”, isso não é algo que a torna (a arte) boa. Além disso, expressão é algo meio subjetivo, pois você achou a arte do autor bem expressiva, mas nós não.
      Repetindo o que comentei ao outro colega, não tentamos ser imparciais por aqui, e sim passar a nossa opinião sobre um assunto. E é claro, como já comentado, existem pontos sim que podemos julgar imparcialmente, e a arte do autor é um deles, que sim, é ruim, e isso não é algo discutível, sinto muito.
      E para terminar, por favor, não venha ficar usando sarcasmo para parecer o “senhor pica no assunto”, principalmente quando o assunto é quantidade de mangas lidos, e principalmente quando sua escrita é perrengue.

      • Primeirva vez que visito isso aqui então não faço ideia de como funciona(va). Deu pra sacar que o texto é bem tendencioso, quantas pessoas tem nesse grupo? Penso ser difícil que TODOS tenham uma opinião completamente negativa sobre o autor, principalmente se esse for um grupo com 3 pessoas ou mais (como disse antes, não faço a menor ideia).

        “Provavelmente vocês ainda não leram obras boas, e por isso colocaram Junji Ito na frente.”

        Falando assim, aos meus olhos, vocês é que tentam parecer os “picas” no assunto então não pude deixar de adaptar meu comentário ao que li no texto; aliás não só esse trecho como vários outros trechos parecem indicar que vocês dominam mais sobre o assunto que a maioria de nós, leitores, passando a impressão de prepotência. Eu entendi como se fosse assim: “você não iria gostar das obras dele se tivese lido obras que nosso grupo considera boas”.

        • Na verdade, nosso grupo é composto por sete (7) integrantes neste momento, e sim, TODOS tem uma opinião não pouco, mas MUITO negativa sobre o autor. Porque como você poderá ouvir no cast, se o ouvir, lemos basicamente quase todas as obras dele para montar essa review, além de várias outras do gênero, como você mesmo comentou.
          E sobre o “não leram obras boas”, não é questão de ser “pica”. Eu ler uma obra não me torna uma pessoa melhor que você. Apenas me torna PROVAVELMENTE (porque quantidade nunca significa concretamente alguma coisa) mais capaz de criticar uma obra do que “os que não leram obras boas”, pois assim como os outros membros do grupo, já conheço milhares (literalmente) de obras. E “não ler obras boas” não é algo que deveria soar como uma afirmação negativa. Pelo contrário! Em nosso site, nosso objetivo é de justamente recomendar obras boas PARA OS QUE NÃO CONHECEM TODAS, ou seja, para todos os nossos leitores. Me desculpe se fui grosso inicialmente, mas me irritei ao receber um comentário de alguém criticando nosso post sem nem mesmo conhecer o grupo e/ou ouvir o podcast. Pelo menos você compreendeu que no podcast terá mais informações disponíveis do que no texto.
          Novamente, não é questão de prepotência. Nossos leitores nos seguem justamente porque sabem que já lemos mais que eles! Esse é justamente o nosso “trabalho”!
          Saiba que nosso grupo é formado estritamente por pessoas que conhecem BASTANTE sobre o assunto. Por isso fazemos casts de muitas obras, e é por isso que o grupo é relativamente pequeno (sete pessoas é um número bem pequeno para um grupo que já tem mais de 50 reviews/tops e que já tem mais 29 marcadas(os).

      • Ok, não é como se eu não tivesse te dado motivos para receber uma resposta mais áspera da sua parte já que eu usei a tática de “bater primeiro, perguntar depois”. Vejo que o tom de escrita dos textos batem com o objetivo do grupo, isso explica muita coisa. Enfim, lerei outras postagens para ver se encontro algo do meu agrado.

  14. Sempre que se fala em qualquer tipo de sentimentos, como engraçado, maçante, triste, impactante, susto, horrorizado, o texto deixa automaticamente de ser imparcial.

    Pq enquanto uma pessoa riu de uma cena, outra não riu. Enquanto uma pessoa chorou, outra não se importou. Enquanto algumas pessoas ficam viciadas com as cenas de Junji Ito, outras não ficam.

    Essa parte aqui não é referencia pra absolutamene ninguem: “O autor costuma colocar nas primeiras páginas de seus mangas grandes choques, o que influenciam muitos a continuar lendo suas obras. Porém, tais choques “tiram um pouco da graça” de suas obras, o que acabam transformando a leitura em algo cansativo e seu início em uma grande “pegadinha do malandro”, atraindo “leitores inteligentes”.”

    Quem não conhece qualquer obra, leia ou assista antes de ter opinião formada. Vai que vc acaba não tendo uma leitura cansativa, mas sim uma boa leitura?

    • Com toda certeza Saulo. Aqui nós temos o costume de recomendar o que gostamos e de apresentar o porquê de gostarmos ou não de algo. É claro que em certos casos julgamos o autor imparcialmente, como no caso da arte, que é algo técnico, mas que mesmo sendo mal feita, certas vezes merece alguns pontos por conter bons elementos subjetivos (como “funcionar para a obra” por exemplo).
      Agora, para “quem não conhece qualquer obra”, QUALQUER OBRA pode se tornar boa. O crítico de uma pessoa vai se elevando conforme sua leitura vai evoluindo, e foi isso que aconteceu conosco. Não tentamos ser completamente imparciais, nem nos nossos textos, nem nos podcasts. Aliás, MUITO MENOS nos podcasts.

      Obrigado pelo bom comentário. =)
      Até a próxima.

  15. Junji ito é um autor bizarro, mas não é ruim. Li vários trabalhos dele e acho bem legal. O ponto fraco é a inserção (ou tentativa de inserir) comédia no mangá. O próprio Gyo começou bem, mas ficou ruim no final. O traço dele já foi pior, mas agora está ok. Não é excepcional, mas não é o pior. Pelo menos não temos os mesmos “Atores” (personagens) que aparecem em mangás diferentes. O cenário também não faz muita diferença. Depende de como você conta a história. Se colocarmos cenários em todos os quadros teremos poluição visual. Quanto as obras, as histórias soltas que ele faz (coleção de horror ou algo do tipo) são mais interessantes.

    • Concordo com quase tudo. Duas coisas que você deve entender:
      1 – Ser ruim ou não vai de pessoa para pessoa. Explicamos o porquê de o acharmos ruim, e achamos, mas qualquer um pode pensar diferente e dar seus motivos, e por isso respeitamos as opiniões de todos, contando que deem argumentos para isso.
      2 – Sobre o cenário ao fundo em vez de quadros brancos, isso, me desculpe, foi uma grande besteira que falou. E os quadrinhos americanos? Eles quase nunca apresentam fundos sem informações. Isso não causa poluição visual. Tem muitos mangas que quase nunca apresentam fundos brancos também, e nunca formaram um problema.
      Fundos brancos pode ser utilizados, na verdade, para dar ênfase emocional a alguns personagens vindos de certas situações. Prestamos mais atenção neles dessa forma. Mas quando fundos brancos são usados inúmeras vezes, perdem o sentido, e ficam apenas como preguiça do desenhista.

      Ótimo comentário. Muito obrigado.

      • Ok, concordo com você sobre ser de acordo com cada um. Mas discordo do fundo branco. Volto a dizer, que é valido usar, até mesmo em excesso. Como eu disse, vai de acordo como você conta a história. MPD psycho que tem uma história legalzinha quase não tem cenário, mas não impede de você ler ou atrapalha na leitura. Os quadrinhos americanos também usam fundo sem informações. O cenário se faz necessário apenas na primeira vez, ou quando ele é importante na história. Nas demais partes, ele é opcional. Leio quadrinhos de todo o tipo, seja ele americano, europeu, japones, coreano e até mesmo brasileiro. Eu também desenho por diversão (mas não sou tão bom). A diferença do Ito para os outros é a cor do fundo. Muitos usam linhas como hachuras, degradê (em quadrinhos coloridos) ou o preto chapado. Sanctuary, Berserk e Monster fazem uso do fundo branco o tempo inteiro. No quadrinho americano posso falar do Preacher ou qualquer coisa com o traço Steven Mcnivens (que é um excelente desenhista), você encontra a mesma coisa. No King of Thorn, que é mediano, temos uso do preto, mas não não compromete o trabalho do cara. Logo acho desnecessário falar que essa é uma característica negativa do desenhista, Posso citar que nos quadrinhos europeus, quase todos os quadros estão preenchido por cenários, mas a diferença é que o europeu trabalha no ritmo de livro. assim eles tem dois a três anos de intervalo entre edições. Logo eu posso dizer que não é preguiça, mas sim um elemento evocativo.
        Ok? Foi mal o texto aí….

        • Bem já que disse desenhar por diversão, acho valido então começar meu comentário dizendo que diferente de você desenho por profissão.
          Mas essa informação nem é tão necessária, acredito que meus argumentos falarão por mim. Começando pelo seu comentário quanto aos comics e aos cenários.
          Não sei quais comics você anda lendo, mas a maioria apresenta uma quantidade de cenários em seus quadros, muito superior, e quando não são geralmente apresentam um preenchimento de fundo, feito pelo colorista, e essa cor de fundo acaba sempre por representar algo, um exemplo: na edição numero três de Vingadores vs X-Men em 92 páginas temos apenas 7 quadros sem a presença de cenário, e em todos eles tem um objetivo claro.
          O cenário deve localizar o personagem dentro do quadrinho, e posicionar o leitor para que o mesmo entenda a movimentação o cenário e os acontecimentos, sem a necessidade do texto. Em um quadrinho desenho e texto trabalham juntos, o que não é expresso pelo texto deve ser expresso pela arte, você não está lendo um livro e sim um quadrinho, a arte é essencial.
          O excesso de quadros brancos sem objetivo, mostra somente preguiça por parte do artista, e isso sim atrapalha a leitura, não localizando o leitor, nada em um quadrinho deve ser opcional, ao se desenhar uma página de uma quadrinho, o desenhista deve pensar em tudo para que sua arte trabalhe a história da melhor maneira possível(pelo menos bons artistas), então quando o autor não o faz, é sim uma característica negativa.
          E mais você errou feio ao citar Berserk, um manga que entrou para o nosso Top 10 de mangas com melhor arte, cujo a principais características são seu cenário, e seu detalhismo.
          Ao se observar a arte de um quadrinho, deve-se pensar que tudo ali tem uma função, inclusive os traços dos quadros e seu distanciamento, e quando a arte não apresenta objetivo, e falha ao passar o enredo ela compromete seriamente o quadrinho.
          Junji Ito apresenta diversas falhas quando se trata de arte, e seu desenho é sim em diversos momentos sem objetivo, e posso dizer mais, eu desenho melhor do que ele, então não tem desculpa.

  16. Quando citei Berserk, não falei que ele usava apenas quadros brancos, tão pouco que o cenário era inexistente. Quando citei livro, apenas disse que os gibis europeus saiam neste ritmo: Um a cada dois ou três anos, Como você mesmo disse, todo o desenho deve ser pensado e calculado. Por isso mesmo acho que é válido fazer uso de quadros brancos (ou recurso semelhante). Essas coisas são recursos usados para evocar efeitos na história. Além do mais, em alguns momentos o cenário não faz muita diferença na narrativa, por isso ele PODE ser eliminado. O angulo, o posicionamento e tudo mais faz diferença na história, mas a pergunta é o que você quer passar com aquela cena. Não adianta você preencher todos os quadros se eles não servem pra nada. Como você disse que é profissional, você deve entender que todo desenho tem seu foco, que é onde você quer que o leitor (ou visualizador?) preste atenção primeiro. Normalmente o camarada vai olhar pro centro, a não ser que exista algo mais interessante nos arredores. Você sabe (ou deve saber) também que isso é utilizado no quadrinho, aliás, isso é praticamente uma lei para quem quer contar uma boa história. agora imagine todos os quadros preenchidos sem dar destaque a nada… Seria terrível. Na hq guin saga, no primeiro volume ainda temos a cena onde guin encara um macacão. Todos quadros, mesmo os de close possuem cenário, mas porquê? prque queriam criar tensão. era o guin vs um gorila de mais de três metros e um local fechado. No brasileiro Mesmo Delivery, existe algumas cenas com fundo com cor. Um mangá não possuem cores certo (normalmente)? Das obras do Ito que eu li eu não vi casos em que o branco atrapalhava. Vi alguns traços ruins, pelo menos nos antigos, mas em geral o traço era legal, e em momento nenhum eu perdi concentração ou algo do tipo por conta (da ausência) do cenário. Se você está levando em consideração apenas o Tomie, acho que você pode até ter razão nisso, mas nos outros não. Eu poderia pegar diversas páginas do próprio berserk para mostrar que ele faz usa e em alguns momentos ele quase não coloca cenário. Mas veja bem, estou falando de alguns momentos, não estou falando que é TODO o Mangá. não misture, ok? de todo o modo, não vale a pena ficar debatendo isso aqui… Enfim.
    Ah, Lucas queria saber se já produziu algum quadrinho ou já tentou fazer alguma coisa do tipo, se sim, posta aí para eu ler…

    • Você chegou a ouvir o podcast sobre Junji Ito? Pois faço parte dele, e posso dizer que li todas as obras dele, e sua melhor obra em termos de arte chega somente ao nível mediano.
      Berserk não apresenta quantidade alta de quadros brancos de forma alguma, e posso garantir que no minimo em 90% das vezes tem um objetivo. Os quadros com fundos brancos tem sim um sentido, mas devem ser empregados de forma correta, no meu post de Melhores Páginas do Mês(onde também tem alguns desenhos meus que uso para completar o conteúdo) eu analiso páginas, e lá você verá uma analise de uma página com seus objetivos e técnicas, mas claro de forma simplificada para o melhor entendimento. E no ultimo Melhores Páginas analiso uma página de Vagabond que faz um uso excepcional de fundos brancos, mas é claro estamos falando de Vagabond o manga com melhor arte, não só da atualidade, mas arrisco dizer de todos os mangas já feitos.
      É possível sim se desenhar um página completamente preenchida, contanto que a mesma seja bem arquitetada, aliás esse é um dos problemas de quando Junji Ito preenche as páginas, geralmente elas se abarrotam e confundem na hora da leitura, e quanto a arte de Ito todos do grupo tem a mesma opinião. E você pode fazer um experimento de postar uma página de Berserk, para que eu faça uma analise como a do meu post, só não garanto ser rápido, já que estou com pouco tempo hábil.
      E se eu já produzi algum quadrinho, tecnicamente não, já que eu só desenho não escrevo, já trabalhei em dois quadrinhos, um deles só com character design, mas ainda está em produção, e o outro onde ajudei na composição de traços, mas a mesma eu não posso mostrar pois está em processo na editora, pra ver se pode ser publicada, mas até ai não é meu desenho, mas você pode se contentar com alguns desenhos do Melhores Páginas do Mês, o Logo do site. E posso dizer que estou em um projeto para montar um quadrinho com o Trilles, que escreverá a história, mas o tempo de ambos tá complicando a história.
      De resto você repetiu muito do que eu tinha falado, então deixo aqui pra você, não existe nada em um desenho que seja descartável, um artista deve sempre se esforçar ao máximo para com sua arte, se ele usa quadros brancos em excesso sem justificativa, isso mostra descaso ou inabilidade por parte do autor, e isso deve sim ser levado em consideração em uma análise. Recomendo então que escute nosso Top 10 Mangas com Melhor Arte V2, e nosso Como Analisamos: Arte. Nesses posts você terá uma melhor ideia de como analisamos a arte de um manga aqui no EMD e também alguns comentários sobre a arte de Berserk.
      E caso deseje continuo aqui para esclarecer duvidas sobre arte, mais especificamente sobre desenho de quadrinhos.

  17. A pessoa que escreveu a crítica já leu as obras de H.P. Lovecraft? Junji se inspirou explicitamente nos escritos do autor, e como tal, beira o caos. Acho muito instigante e peculiar a forma que nem eles próprios procuram explicar esse caos. E como o caos domina, não há preocupação em anatomia ou detalhes minuciosos; o foco é a insanidade. Gosto do Junji, e não acho que isso se dá porque não li boas obras.

    • Peço desculpas, Agatha.
      O texto já é antigo e, de fato, foi escrito de forma agressiva desnecessariamente. Inclusive, sobre o podcast digo o mesmo. O grupo já mudou bastante sua ideia sobre autores e obras. Dito isso, devo afirmar que continuamos não achando Junji Ito bom, pois tendemos a analisar bastante arte e seus aspectos que beneficiam obras, e mesmo entendendo sua interpretação da falta de realismo no traço feita para combinar com a dominância do caos, analisando sua arte por pontos não vimos traços que deixassem isso claro para nós. Ou seja, continuou se tratando de uma arte muito ruim para nossos olhos. Sem contar que sua narrativa não é muito bem estruturada, com diálogos fracos usados como ferramenta para apenas jogar mais caos na obra. Além disso, não nos interessamos em ler algo apenas para ver caos por si só. Achamos que quando há um objetivo maior nisso, toda obra funciona de forma melhor.

      Obrigado pelo comentário e, novamente, desculpe-nos pelo trabalho infantil feito neste artigo.
      Um abraço.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s