Review – Wolf Guy

Yo Pessoal! Estou aqui de novo para trazer outra review antiga do EMD. Esta será a penúltima review antiga feita por mim. Gunnm e Code Geass receberão novos casts, enquanto Shigurui terá seu texto postado semana que vem.

Essa semana eu trago pra vocês Wolf Guy! Uma obra que nos traz, felizmente, uma visão de lobisomem diferente daquela que estamos acostumados. Além disso, a evolução que a obra apresenta no decorrer dos volumes é algo incrível e este com certeza é um manga que deve ser lido.

Então, vamos finalmente nos transformar na lua cheia com Wolf Guy!

Wolf Guy

Antes de começarmos a falar da história de Wolf Guy, é importante conhecermos alguns aspectos sobre a obra. Wolf Guy foi escrito por Yoshiaki Tabata e desenhado por Yuuki Yugo e conta com 117 capítulos encadernados em 12 volumes. Vale dizer que esta dupla também foi responsável pelo manga Akumetsu, que já recebeu uma review do EMD.

A história de Wolf Guy começa com nosso protagonista, Akira Inugami, sendo transferido para sua nova escola e tendo a sorte de cair na pior sala do colégio, repleta de delinquentes temidos até pelo diretor. Não demora muito até Inugami se tornar alvo desses delinquentes. Ele, porém, nunca revida às agressões sofridas. Logo descobrimos que o garoto possui uma resistência anormal, e que esta vem do fato de ele ser um lobisomem.

Akira Inugami é um estudante de 15 anos e também é um lobisomem. Órfão ainda criança, acabou tendo que conviver com lobos por certo período, em decorrência dos acontecimentos que causaram a morte dos seus pais. Este fato mudou sua personalidade, fazendo-o agir mais como animal que como humano. Inugami se sente superior aos humanos e também é muito orgulhoso. Por conta disso, observamos diversos conflitos que fazem o personagem ser muito bem desenvolvido ao longo de toda obra.

Voltando ao enredo, a estória começa a se desenvolver, principalmente, a partir do embate entre Inugami e de Dou Haguro. É interessante notar que são as escolhas individuais que acabam fazendo com que se tornem inimigos. Também é interessante perceber as consequências de cada ação tomada e como isso acaba afetando aqueles que estão ao redor deles. O autor conseguiu desenvolver muito bem a obra em torno destes personagens, de maneira a não torná-la cansativa. Todos os acontecimentos e divagações são bastante intensos, sempre instigando o prosseguimento da leitura.

Há de se acrescentar que o autor conseguiu empregar diversos personagens na obra e que todos eles possuem um razão de existir. Pode parecer exagero, mas não há um único personagem que não seja bem construído. Cada um deles possui uma personalidade única, seguindo seus princípios de maneira condizente com seus pensamentos. Além disso, o autor mostra o passado deles, fazendo com que o leitor entenda como cada um chegou à situação em que se encontra atualmente.

A obra é também é espetacular no que tange o desenvolvimento dos seus personagens principais. Inugami encontra-se num conflito constante entre seu orgulho e seus sentimentos, e percebemos ao longo do manga como ele lida com essa balança e o quanto a sua indecisão pode custar aos outros. Já no caso de Haguro, percebemos logo num primeiro momento que se trata de uma pessoa extremamente racional, podendo se dizer até que é desprovido de emoções. Seu embate com Inugami faz com que experimente uma explosão de sentimentos que jamais havia vivenciado, e a forma como ele lida com isso ao longo da obra é algo sensacional.

Um ponto forte do manga é a sua violência e a ausência de censura. Ao longo da obra, percebemos que o autor emprega violência física, mental e sexual, e o leitor não é poupado de nenhuma delas. A obra contém sexo, estupro, membros cortados, sangue e outras cenas fortes. Por isso, o autor ganha pontos por não ter medo de mostrar tudo isso e ainda fazê-lo de maneira a contribuir com o andamento da trama .

Outro ponto forte do manga é a concepção de lobisomem trazida pelo autor. No caso de Wolf Guy temos um lobisomem que lembra a lenda original, mas que também possui aspectos próprios da obra. A transformação ocorre de maneira gradual e é muito bem feita. O poder que o lobisomem possui é apresentado de maneira simples, mas é muito bem utilizado ao longo da estória. A figura do lobo é muito bem trabalhada. Inugami busca a todo o momento mostrar como a sociedade distorce a imagem dos lobos, sempre ressaltando que eles na verdade são animais nobres. As associações de pessoas com animais feitas pela personagem principal ao longo da obra são muito bem colocadas e fazem total sentido, levando até o leitor a se questionar sobre o animal a que estaria associado.

O cenário de Wolf Guy é bem trabalhado. Logo no início, percebemos que o desenrolar da estória se dará entre a escola e as noites da cidade. No cenário escolar, o autor soube utilizar muito bem o terreno para fazer com que grandes acontecimentos se passassem ali. Já em relação ao cenário noturno, ele é mais vasto, pois a cada nova situação, somos levados a um local diferente, e por esse motivo acabamos sempre descobrindo mais um lugar novo da cidade.

A arte de Wolf Guy é muito boa. Diferentemente de Akumetsu, as cenas de ação são mais fluidas e limpas. As expressões dos personagens também merecem destaque, apesar de alguns exageros. A violência é muito bem mostrada e o desenhista enfatizou aquilo que o autor queria passar. Os animais apresentados são todos muito bem representados e o lobisomem é um show à parte.

O manga apresenta ainda um romance inusitado. Apesar de pegar de surpresa muitas pessoas, o romance de Wolf Guy é muito bem construído. Percebemos ao longo dos volumes como a relação entre os personagens enfrenta algumas barreiras como, por exemplo, o orgulho de Inugami, e também como ela cresce a cada barreira superada. A maneira com que o romance foi utilizado no clímax da história foi sensacional, fazendo com que todos os sentimentos dos personagens, que cresceram durante todo o manga, explodissem e fossem utilizados da melhor maneira possível.

Como toda obra, Wolf Guy também possui seus pontos fracos. A idade dos personagens, infelizmente, é um ponto fraco do manga. Toda a fisionomia e todas as ações dos personagens condizem com pessoas de no mínimo 18/19 anos. Inugami e Haguro, contudo, têm apenas 15 anos. É um ponto fraco muito idiota que poderia ser solucionado com a simples mudança de algumas falas, mas mesmo assim não deixa de ser incômodo durante a leitura.

Outro ponto fraco de Wolf Guy são os seus exageros. O autor criou um lobisomem que teoricamente seria indestrutível na lua cheia, e que na lua nova estaria mais vulnerável e teria a força de um humano. Inugami, porém, continua forte e resistente mesmo estando em plena lua nova. É incrível como o autor não poupou esforços para dar uma última “ajuda” ao personagem e a forma como ele sobreviveu ao longo dos volumes. Tamanha “resistência” concedeu a Inugami um lugar no Top 10 Personagens Imortais.

Como estou fazendo essa review também quero deixar minha nota, mesmo não tendo participado do podcast, e ela seria “9″.

Queremos saber a sua opinião! Então, vote e dê a sua nota para o manga!

Revisora: Érica (tradutora de Annarasumanara)

Qualquer reclamação, xingamento, comentário sobre a review ou a obra, por favor, escrevam abaixo nos comentários, mas lembrem-se, utilizem argumentos válidos!

Então é isso galera! Essa foi a minha review de Wolf Guy e espero que tenham gostado. Até a próxima.

12 pensamentos sobre “Review – Wolf Guy

  1. A primeira coisa que me chamou a atenção em Wolf Guy foi há capa do primeiro volume que vi em um leitor online, ela era de um homem ao lado do que parecia um lobo… Isso me chamou a atenção já que na época era modinha o Gaypusculo ou Crepúsculo como preferirem, e então sem nem ler há sinopse resolvi ler ele (mas já esperando alguma coisa como um ecchi qualquer), me surpreendi já que vi algo ótimo aponto de ser um dos melhores mangás que já li… O mais incrível foi que o autor conseguiu me fazer sentir um raiva insuportável pelo Haguro e seus capangas, eles me davam nojo e isso foi incrível pelo motivo que nunca tinha sentindo esse sentimento lendo um mangá.
    Resumindo ler esse mangá foi indescritível e ao mesmo tempo muito divertido.
    Parabéns pela ótima review!

  2. eu gostei de Wolf Guy, deram ate um final razoável pra ele, teve uns tempos que eu nem conseguia ler ele direito( achava a historia meio pesada, não gosto muito de ver estupro no meio da temática) mas com o decorrer do manga fui me interessando mais pela historia e fui ficando curioso com o possivel final( que por mais frustante que seja ainda foi legal). Esse é um manga legal com uma historia boa e com um ponto de vista diferente

  3. ah mais uma coisa, se for possível depois vocês podiam fazer um review sobre o ITOU Junji, eu gosto do trabalho dele e gostaria dever o ponto de vista de vocês sobre ele e seus trabalhos( Tomie e Uzumaki foram os primeiros dele que eu vi).

  4. Gostei muito desta obra, e no fim deixou um ar de “posso retornar” com ele na maca de um hospital qualquer!! O que achma, existe a possibilidade de um retorno desta obra?

  5. A melhor cena que achei de Wolf Guy foi na batalha entre Haguro e Chiba (virado ogro) em que o Haguro em seu momento final desperta como um verdadeiro humano, e grita;

    -ME ESCUTE DEMONIO, EU SOU A HUMANIDADE!

    Muito louca aquela cena em que o Haguro toma para si o titulo de representante da raça humana, e brandi sua espada para nos defender do monstro que iria trazer a aniquilação do nosso mundo.

  6. Um anime com violencia, extupro, ação etc q eu gosto é berserk dentre outros. Mas nao gostei de wolf guy, q final foi aquele?
    1º A historia é um palco onde inugame e Aoshika dentre os outros personagens dançam em meio ao proprio sangue(eles tao quase no inferno, bem exagerado mas real, entao da pra suportar) “Mas chegando chega uma hora q começa a ser muita merda quente acertando o ventilador”
    O que nos leva ao ponto q me fez nao gostar da obra, o final. Após tudo isso
    2º Tinha esperando num final melhor, mas todo mundo so se fode mesmo ””’
    3º nao devia ter visto um manga recomendado pelo extrupatom lol

    • Refaremos a review de Wolf Guy no futuro, provavelmente, mas posso afirmar que alguns membros do grupo são contra as opiniões originais do Estupratom e do Gutinho colocadas no vídeo do YouTube e das do Thomás, neste texto. Fomos crescendo com o tempo, enquanto o site também ia, e utilizarei as palavras que o próprio Gutinho usou ao reconhecer erros de Wolf Guy há alguns dias atrás: “Não tínhamos cabeça para criticar uma obra como essa naquela época.”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s