EMD Cast #93: Review – Eden: It’s an Endless World!

 

Uma doença degenerativa afeta os membros do EMD e obriga que eles façam mais um podcast.

Quão grandioso é o manga de Eden? Seria então ele infinito?

Desculpem a piada de mal gosto, mas esse é um daqueles quadrinhos que ficam marcados na mente de seus leitores.

Qual seria então a mensagem de Eden? Qual o sentido da vida e do universo? O que nos faz humanos? Questionamos a via o universo e o ser, mas uma pergunta ainda se mantem sem resposta. Que CARALHOS o Time 7 de Naruto tá fazendo no final desse manga?!

 -> PODCAST <-

Lembrando que recomendamos que baixem nossos podcasts.

Para fazer o DOWNLOAD do Podcas :
[SPOILERS: 01:17:48 ATÉ 01:44:11]

EMD Cast #93_ Review – Eden_ It_s an.mp3

(para baixar, clique com o botão direito do mouse e escolha a opção “salvar link como”)

*As informações desse cast podem ser encontradas no final deste post.

– Informações Gerais –

Onde baixar:

Inglês:
BakaBT (10 primeiros volumes em versão HD).
+
BakaBT (últimos 8 volumes em alta qualidade).

Português-BR:
Fuji Scan.

Status: terminado.
Volumes: 18.

*Para saber sobre as músicas utilizadas no cast ou caso tenham qualquer dúvida, entrem em contato conosco.

 

 

 

74 pensamentos sobre “EMD Cast #93: Review – Eden: It’s an Endless World!

  1. Estava lendo Eden estava no volume 3, entretanto, com o meu computador está com defeito, foi para o conserto e utilizando apenas o netbook de meu pai, estou incapacitado de ler Eden no momento(Não dá para ler mangás online em uma tela de resolução 1024×600, pelo menos eu não consigo), por isso não ouvirei a parte com spoilers.

    Uma pergunta: Em que edição vai sair a Review de Eden na NeoTokyo?

  2. Não ter review tudo bem, mas nem uma sinopse ?:/
    Só pra dar uma ideia sobre o que se trata o manga antes de partir pro podcast sabe…vou baixar e ouvir amanhã antes de ir trabalhar, obrigado pelos podcasts.

    • A ideia sempre foi levar o pessoal direto para o podcast, e em uma obra tão importante quanto essa, definitivamente isso é o certo a ser feito.
      Na verdade, como comentamos no início do podcast e em outras situações por aqui pelo site, nem recomendamos que escutem primeiro os podcasts em algumas obras, e Eden é um exemplo de obras assim. Em nossa opinião, seria melhor simplesmente ler a obra de cara e escutar o podcast após tudo lido.

      • Entendi a questão de não ter review de texto e vou aceitar a dica de vcs e ler a obra (nesse fds) antes de ouvir o resto do podcast, só fico na dúvida sobre não ter a sinopse, nesse caso eu entendo já que review aparecendo em uma revista e as notas altas me fariam ler a obra de qualquer forma, mas isso vai ser padrão para todos os futuros podcasts ou apenas para aqueles que falam sobre obras especialmente boas ?
        Porque em obras medianas em que a decisão de ler fica a critério do leitor, eu prefiro ter informações básicas sobre a obra, já que uma obra considerada mediana por vcs e de um gênero que não me interessa me faria pular para outro post mais interessante (infelizmente eu não tive tempo de ouvir todos os seus podcasts e nem li todos os mangas mais recomendados e tenho que escolher eles com cuidado:/ ).
        Pra terminar, qual é a música que toca no começo do podcast ?

        • Nem sabemos se terá um padrão. Fizemos desse jeito pois estava em cima da hora e eles queriam um texto inédito.
          As músicas que tocam em todos os primeiros 30 minutos (no mínimo) de podcast são parte do CD Slideways – 256 de Roy Rogers. As músicas aparecem na ordem do CD, sendo a primeira Avalanche.

  3. Já adicionei aos favoritos para escutar o podcast quando acabar de ler o manga. Punpun, Berserk, Vagabond e Shingeki são meus mangás favoritos e com toda a certeza que Eden, Century Boys e Vinland Saga logo estarão entre eles também. xD

    Aproveitando o comentário… vocês já fizeram as reviews de Century Boys e Vinland Saga?(quase certeza que não, mas não me recordo) se não, já tem uma data prevista para ambos? rsrs

    • Já pensei em colocá-lo no ranking semanal algumas vezes, mas honestamente eu penso que a obra não vale o esforço. Ela tem uma premissa interessante que não é muito bem trabalhada e fica querendo chocar o leitor o tempo todo (tipo Sun Ken Rock). O máximo que eu dou para o manga é 7 com chances consideráveis de drop.

  4. muito bom o podcast como sempre vlw por mais 1 vou tentar fazer meus amigos lerem a obra mostrando o podcast pq sempre que eu falo em uma obra pra eles a unica coisa que eles perguntão é TA MAS COMO SÃO AS LUTAS kkkkkkkkkk,pode ser que esse cast abra a mente deles vlw.

  5. Duas horas e meia de podcast ó.ò

    Vou ouvindo aos poucos e volto aqui pra comentar depois de uns 3 dias xD

    Até agora, só ouvi os primeiros 5 minutos… mas dá pra ver que vocês gostaram do mangá xD

  6. Comecei a ler Oyasumi Punpun a um mês e pouco, e estou sem vontade de continuar, queria saber se o Punpun vai ficar o manga todo sendo representado por ”aquilo”. Alguém sabe me dizer?

    Ótimo cast, já foi adicionado a lista esse manga!

    • Ele vira um triângulo depois… O personagem muda bastante, mas muito mais psicologicamente do que fisicamente. A ideia de Oyasumi Punpun é o leitor imergir na obra para pegar todas as ideias que o manga tenta passar, principalmente pelo personagem Punpun Onodera. Enfim, uma obra fantástica, mas é para um público mais “viajante”, não para todos.

    • Para os que não são muito fans do gênero o mais difícil é passar dos dois primeiros volumes. Eu mesmo abandonei a obra umas três vezes em seus primeiros capítulos. Mas ele evolui de forma impressionante e com certeza é uma leitura que vale a pena.

      • Kra eu comecei a ler Punpun na segunda feira passada, e terminei nessa sexta de ler, e posso dizer que foi simplesmente fantástica a leitura, eu realmente gostei da ideia do autor dá mais importância para os sentimentos do protagonista do que sua propiá imagem, eu acho que punpun não seria tão bom se o protagonista não fosse apresentado do jeito que é, sem falar que a arte me tira o folego, eu fico impressionado com a variedade de ângulos que o autor usa, e fica muito mais muito bom, as expressões dos personagens são tão realista que eu as vezes acho que são fotos hahahahahah, eu já virei um fã da obra e ela já é uma das minhas preferidas, se eu fosse vc fazia uma maratona de leitura do mangá, fica mais divertido ler de uma vez( pelo menos comigo deu certo hahahaha)

        • Eu li o manga todo de uma vez, fiquei lendo por umas 16 horas seguidas, tendo pausas para reflexão e alimentação. Eu estou acostumado a ler por muitas horas seguidas sem perder e foco, mas esse é um manga que se você não estiver acostumado ele vale mais a pena ser lido lentamente.

          A maioria dos membros do grupo demorou semanas para ler a obra e alguns me xingam por ter lido ela de uma vez só.

          Leia no máximo três volumes seguidos e reflita, isso vai fazer você imergir da obra, tornando a leitura mais prazerosa.

  7. Uau, está mesmo muito difícil achar a soundtrack dos filmes de Berserk. No início foi divertido esperar você upar aqui, Trilles, mas estou começando a me sentir como quando se inicia um hiatus de Hunter x Hunter😦.
    Você pretende mesmo upar a soundtrack? se não, por favor me passe um link de um lugar onde eu possa baixar, tá foda de achar.

    • Opa!!!! Disculpa ae Trilles, é que não costumo abrir esse email. Erro meu.
      O pior era eu procurando por aí enquanto tinha um link na minha caixa de entrada! Kill me, please. kkkkkkkkkkkkk

      • Sério mesmo, realmente sinto muito. Eu deixo esse email logado no Notebook, mas utilizo mais o Hotmail, que é o mesmo, porém “@hotmail”, no PC.

        Mas pulando esse assunto, eu estou começando a me interessar em editar/traduzir um manhua nos últimos dias, e até me diverti fazendo isso, mas chegou uma parte que me incomodou e eu não consegui limpar.
        Veja o último texto no canto inferior esquerdo:

        Eu não sei quem posso consultar quanto a isso, portanto resolvi vir aqui, esperando que algué me dê alguma luz.🙂

        • Na verdade, acho que nem a Jéssica irá lhe ajudar, porque ela despreza quem edita por cima do já editado. A página que você mandou não só já foi editada pelos americanos como também foi pega do mangareader, leitor online. Que eu saiba a ferramenta a ser usada é o clone, e o resto é ter saco mesmo.

      • As imagens que eu tenho são em chinês, e com uma ótima resolução. Essa imagem eu peguei do Google, como um exemplo da situação. E eu não estou editando para upar, mas sim como prática, já que eu tenho umas raws de The Ravages of Time bem mais complicadas que, se eu aprender a editar bem, talvez eu possa PENSAR em upar, mas só se eu realmente melhorar muito nisso. Na verdade eu comecei a baixar apenas para ler, depois e busquei as raws em chinês mesmo, por que eu pretendo guardar esse manhua em português, e não para upar por aí… Na verdade isso soou bem egoísta enquanto eu escrevia, mas eu realmente pretendo continuar porque eu me diverti fazendo.
        Para você ter uma ideia de quão novato eu sou nisso, eu comecei a editar somente no fireworks. Mas valeu a dica.

        E sobre o manhua, você ou alguém do grupo já leu? Eu perguntei antes mas não responderam. O nome é “Feng Shen Ji”.

  8. Trilles, eu queria que você me indicasse musicas ou talvez bandas que tocassem um som parecido com o da opening de Black Lagoon: The World of midnight.
    Ouvi outras musicas da Minako Obata, mas nenhuma é tão boa quanto essa.

    • Só pra deixar claro, não sou um crítico de música ou algo parecido. Apenas conheço mais músicas do que a maioria das pessoas, pelo simples fato de “correr atrás”. Mas acabo escutando só o que gosto, ou o que me traz um sentimento peculiar em certas ocasiões. Não gosto de músicas desse tipo, portanto, não conheço outras. Me desculpe. =)

  9. Você gosta de Western Music, Trilles? Quando eu baixei a soundtrack de Berserk eu ia mandar um link com algumas músicas por email, mas fiquei meio acanhado… ainda posso postar aqui, caso você, outra pessoa do grupo ou os outros que acompanham o site, gostem de Western Music.

  10. Voltei \o/
    Depois de 2 horas e meia de podcast, trouxe meu comentário. Fui ouvindo com o bloco de notas aberto e fiz minhas anotações, que seguem abaixo. Provavelmente esse é o maior comentário que vocês já receberam xD

    Primeiro de tudo, gostaria de recomendar a leitura disso (em inglês) pra todo mundo que leu Eden: http://tvtropes.org/pmwiki/pmwiki.php/Manga/EdenItsAnEndlessWorld?from=Main.Eden
    Isso é uma das coisas mais legais que eu já li sobre Eden =)

    Agora, vamos ao debate.

    “Não tem nada demais na arte.”
    Sinceramente, não precisava procurar um defeito na arte de Eden… É que nem assistir um filme francês e falar que é ruim porque não tem ação, jogar RPG e falar que não tem lutas frenéticas, ou jogar tênis e falar que é um esporte ruim porque não tem coletividade. Isso é quase o papo de fanboy de video game que fala mal de gráficos.

    Se as características particulares de cada pessoa são difíceis de identificar, é porque nós leitores de mangás estamos acostumados a identificar cada personagem pelo cabelo (¬¬). Se você tirar o cabelo de todo mundo de Dragon Ball, ou qualquer mangá que seja, ninguém ia saber quem é quem.

    E como não é uma arte fantástica? Não viram a decepção no rosto do Elijah quando ele descobriu o que a Manuela fez? Não viram o ódio no rosto do Pedro? A arte é fantástica, sim, na particularidade que é Eden, porque Eden não é um mangá comum. Vagabond, Mugen no Juunin, Berserker, esse tipo de mangá extraordinário ainda é um mangá com características de mangá, mas Eden é um mangá muito além do que conhecemos como mangá, começando já por não se passar no Japão.

    Então vocês passaram para a narrativa, e viram que a narrativa é diferente de todos os outros mangás que já leram, disseram mais uma vez como Eden é diferente da maioria dos mangás (e isso é bom ^^), fluída e com desenvolvimento de personagens de um jeito único (apesar das mortes, mas “estamos em guerra”), não devíamos considerar que o autor, que é um mangaka profissional, escolhe a arte para combinar com a narrativa? Como quando vocês reclamaram dos quadros de fundo branco, mas o importante nesses casos são as falas e os personagens, vamos deixar a paisagem para quando as coisas forem explodir xD

    Mais uma vez, “personagens iguais”. Hoje em dia todo mundo usa o mesmo cabelo, as mesmas roupas, né? Pode ser que em 2100 as coisas continuem assim… A não ser que os japoneses dominem o mundo e entre na moda a gente usar cabelos excêntricos para poder distinguir as pessoas na rua. Mas eu também tive problemas com isso de achar todo mundo igual quando li pela primeira vez, mas como eu disse, é o nosso velho costume de diferenciar personagens de mangá pelo cabelo, olho, bolinha vermelha na bochecha, roupa laranja. Mais pra frente que eu fui ver: “esse daqui tem barba, esse não tem. Olha, o Elijah mudou o cabelo” e tal.

    “Fiquei boiando quando começou a falar de química e física”. Traduzir isso que é legal, yeah!

    Pulando (bastante) a review, chego na parte da comédia. Uns de vocês reclamaram, mas quando foi falado que a comédia entre o Elijah e a moça (que ele não citou o nome mas quem leu sabe quem é) existe porque a relação dos personagens foi criada a partir de um relacionamento bem humorado, o humor ficou explicado =)

    Mas falar que o foco da obra é mal desenvolvido no objetivo e que o final é infeliz? Hmmmmmm… Como vocês sabem, Eden tem vários temas, Eden quer falar sobre vários temas. Não quer seguir só o ELijah, o nome do mangá não é “Elijah”, nem Ennoia, nem Vírus Colóide e nem Maya, por isso tem aquele arco do meio com o Kenji e a Marihan. O que aquilo acrescentou para o Elijah, para o Ennoia, para o vírus? Nada. Eu não acho que Eden tenha um objetivo mal desenvolvido nem um final ruim, a não ser que vocês tenham lido Eden esperando o que esperavam quando liam seus mangás convencionais, e Eden NÃO é convencional.

    E outra, vocês acharam o final previsível? Ok.

    [Área dos spoilers]

    Para começar, não gosto de ficar comentando interpretações de enredos, acho que cada um devia interpretar os enredos que leem da sua maneira, e se o autor tem uma mensagem para passar para os leitores, ele tem que saber bem passar essa mensagem para que o leitor a entenda direito.

    E o nome dela é lindo. Lethia Aleetheia — a raw japonesa apresentava o nome dela com as letras romanas, então eu deixei do jeito que estava, e assim era na scan americana. Eu pronuncio “Létia Aletéia”, se minha esposa deixar vai ser esse o nome da nossa filha. Se for menino, vai se chamar Nazarbayev shaushuasuhsahu

    Eden não acabou depois que a Mana morre porque tinha que desenvolver o colóide, o Ennoia ainda tinha a sua missão também, senão ele não ia ter aparecido no primeiro capítulo com 100 páginas só a ele. O nome do mangá não é Elijah, de novo. Aliás, quantos mangás têm um primeiro capítulo de 100 páginas? Fodão esse Eden hehe

    O presidente da Propatria que morreu, pra mim, serviu só pra desenvolver a Sophia, para que no final fizesse sentido o senso materno que ela tem com o novo universo.

    Ah não. Ah não. AH NÃO. Vocês não compararam Eden com Naruto. Não. Eu não ouvi isso. Não, não, não! Ennoia e seus amigos estiveram sempre juntos, destruíram o cartel de drogas porque o novo líder dele estava fazendo merda com tudo o que o Ennoia construiu, Ennoia e os outros 2 ou 3 homens sempre estiveram juntos e têm os mesmos ideias, Ennoia e seus homens sempre foram os mais fortes. Ennoia foi salvar a sua ESPOSA. Nazarbayev e Kenji foram salvar a MÃE deles, e Nazarbayev é o irmão mais velho do Kenji. Não tem como comparar isso com a cagada épica que foi o Naruto. Desnecessário isso, galera.

    Então, por favor, quando forem fazer uma review de Sanctuary, não comparem o Hojo e o Asami com o Naruto e o Sasuke, e com nenhuma outra merda comercial publicada pela Weekly Shonen Merda.

    Ai meu Deus, por quê? ó.ò

    Novamente, a falta de costume, dessa vez com o vilão final, o John Meigas. Falar mal disso é esperar de Eden o que se espera de mangás comuns, que tem o vilão a ser combatido desde o início, e que os personagens ficam mais fortes para vencê-lo. Não. Pra mim, faz mais sentido pensar assim: ficou explícito que Meigas sabia que tinha o “gene do escolhido”; Meigas também já sabia da existência do Maya, então Meigas podia saber qual seria sua função para com o colóide; Meigas podia saber da existência de Ennoia e que ele também tinha o gene do escolhido; Meigas podia saber que Ennoia iria atrás dele; então Meigas se escondeu no espaço até o momento propício. Especulação por especulação, faz mais sentido pensar assim do que considerar Meigas um “enchedor de enredo”, tendo em vista tudo o que se desenvolveu ao longo do mangá.

    Além disso, eu li algo assim uma vez… “O maior vilão de Eden não é algo ou alguém. O maior vilão de Eden é a vida, o destino, o mundo”. E não é sobre isso que Eden é?

    A Sophia não controla o novo universo porque é um robô, ela parece ter o instinto materno que foi desenvolvido nela no mangá.

    Um ponto forte que vocês comentaram foi o desenvolvimento do Elijah. Como vocês disseram, ele perdeu a mãe e as irmãs, e foi fazer o quê? usar drogas. Num mangá normal, ele teria todo aquele discurso de livro de auto-ajuda, “não, eu tenho que superar e vou continuar feliz e forte como se nada tivesse acontecido.” Eden não é uma porra de um mangá normal!

    A discussão sobre a colóide eu gostei, é como se fosse o básico de todas as religiões, “perante Deus somos todos iguais”, e na colóide somos todos um só. Como eu já falei antes, o mangá não é sobre a colóide.

    Por último, na área de spoilers, eu só queria dizer que houveram muitas coisas que vocês destacaram como pontos fracos do mangá, mas que deram impressão de que foi somente coisas que vocês não gostaram, ou coisas como “eu gostaria que fosse assim”. Acho que quando se lê algo deve-se deixar que ele te dê as coisas, e não esperar ganhar algo. Presentes surpresa são muito mais legais. Hiroki Endo teve sua maneira de contar uma história, de passar sua mensagem, então não tem porque questionar a maneira do mangá se desenvolver e desenvolver os personagens.

    [fim dos spoilers]

    Enfim, vocês falaram bastante de Eden, eu comentei aqui mais o que eu não gostei, e espero que isso gere discussões boas. Alguns facepalms foram inevitáveis (vou ficar traumatizado com esse naruto no merio da review por muito tempo), achei os defeitos que vocês mencionaram muito forçados, eu não vejo nada de errado na arte na particularidade do mangá, por exemplo, e nem vou comentar sobre vocês não terem gostado do final, pois já é raro um mangá acabar, ainda mais por vontade própria, depois de ter iniciado, desenvolvido e finalizado sua hisatória, e quando acaba ainda tem gente que não gosta? (Ainda bem que vocês deram uma puxadinha de saco da Fuji Scan no final, senão eu ia sair da review triste shuashasauh, “People get ready” no final também me tirou um sorriso xD). O resto que vocês comentaram eu achei muito legal, a maioria eu concordo, algumas coisas eu interpretei diferente. Espero que muita gente comece a ler Eden a partir disso, pois como vocês disseram, Eden tem muito o que acrescentar. E a conclusão a que eu chego, depois de tudo o que vocês falaram e como falaram de que Eden tinha mistério, filosofia, ciência, religião, desenvolvimento psicológico dos personagens, e principalmente a minha opinião pessoal, é que Eden é um mangá COMPLETO =D

    Valeu, EMD, não por mim, mas pelo mangá, por ajudarem a divulgar essa obra de arte que é Eden ^^ O engraçado é que um mangá completo como esse sempre passa batido nas dicussões dos otakus, Eden não é um mangá que faz muito o perfil dos otakus, principalmente os que acham que tudo no Japão é lindo. Apesar disso, é o mangá mais baixado na Fuji, e nas comparações que eu fiz com outros scanlators é um dos mais baixados do Brasil (com números próximos aos números dos ecchis, aos números de Claymore e de Gantz [podia-se acessar esses números quando o Chrono hospedava os arquivos no 4Shared]).

    PS: Não sei como vocês conseguem comentar tantos mangás que leem, eu to escrevendo esses comentários-respostas e to cansado e de saco cheio hsuahsuhusauhsau xD Vou lá voltar a traduzir Sanctuary que esse que é meu negócio lol

    • Arte: Me desculpe, Lucas, mas acho que você não escutou direito. Se escutasse, teria nos ouvindo falando muito bem das expressões colocadas nos personagens, nos cenários e afins, mas os personagens DEFINITIVAMENTE são iguais, e não apenas por cabelo. Em um certo momento, uma nova personagem (mulher) é apresentada na obra, e por ter um cabelo comprido já percebi que era uma mulher, mas por um pequeno tempo a confundi com o próprio Elias, e para minha surpresa, todos tiveram a mesma confusão. Em certo momento, um negro ajuda o irmão mais velho de Kenji e ele próprio a escaparem de uma facility, logo após isso, Tony aparece pela primeira vez, se não me engano, e juro ter pensado que ele tinha algum grau próximo de parentesco com o negro anterior. Os personagens são sim muito parecidos, pelo menos ao nosso ver.
      E outra, não sei o porquê de ter citado Mugen no Juunin, pois ele apresenta uma arte bem porquinha, diferente do que todos pensam. Muitas pessoas pensam em Sun-Ken Rock como uma “puta arte”. São mangas que tentam mais chocar do que qualquer outra coisa. Como já falamos, tentamos criticar arte por técnica, mas além disso, por como ela combina com sua obra, e lembro de termos deixado bem claro que a arte de Eden funciona PERFEITAMENTE para o manga, PORÉM, tecnicamente apresenta falhas, e é só.
      Aliás, ao falar da narrativa você bateu novamente no ponto da arte e falou que notou “um personagem com barba e outro não”. Afinal, isso não é exatamente o que você criticou dizendo que temos o costume de fazer? Comparar aparências por pelos no corpo? Não entendi.

      Narrativa: Não discordou em nada, apesar de ter citado que um autor pode fazer uma narrativa pensando em sua arte e vice-e-versa, o que concordo. Então seguimos…

      Foco: Bem, nunca falamos que o personagem principal da obra era Elijah, ou Ennoia ou sei lá mais quem. Pelo contrário, dissemos que seria o grupo de toda a humanidade, o que é válido, como dissemos em nosso “Como Analisamos Personagens”. Enfim, infelizmente, novamente você veio defender a obra (que em resumo demos analisamos como uma nota “9”) dizendo: “a não ser que vocês tenham lido Eden esperando o que esperavam quando liam seus mangás convencionais, e Eden NÃO é convencional.” Comentamos inclusive no podcast várias vezes que é sim um manga muito diferente, mas ficar insistindo nisso me dá a impressão de que está tentando defender demais uma obra, que é ótima, mas não tão absurda assim.

      [SPOILERS]

      Bem, você nos criticou utilizando um parágrafo inteiro para dizer que não podíamos fazer “aquela comparação”. Pois bem, a fizemos, e com razão em minha sincera opinião. Você não se explicou. Com que ideais, com que relacionamento os dois companheiros de Ennoia foram SE SUICIDAR para ajudar o “possível amigo” (pois não nos foi apresentado um laço de real amizade entre eles) A RESGATAR A ESPOSA?!?!?!?!?! Com que lógica Kenji e o outro coronel, cercados em cima de uma helicóptero caído no meio do oceano conseguiram destruir mais de 20 Aeons lutando totalmente contra eles e chegar a salvo, sem um único arranhão na “ilha final”?!?!?!?!
      Essas são perguntas cujas respostas não existem, simplesmente.

      Sobre o John Meigas, você falou tudo o que já sabíamos e comentamos no podcast. Novamente, me pergunto se escutou direito… Nós falamos exatamente isso: “Eden não precisava de um vilão.” Então me diga, pra que motivo o tal de John foi aparecer no manga?! Fizesse outra coisa. Desenvolvesse o enredo épico que apresentou de outro modo, mas não precisávamos de um personagem COMPLETAMENTE ALEATÓRIO aparecendo e se dizendo ser o deus do novo mundo. Pelamor…

      “A Sophia não controla o novo universo porque é um robô, ela parece ter o instinto materno que foi desenvolvido nela no mangá.”
      Resposta direta: Existem, com toda a certeza, muitas mães no mundo que são muito mais mães do que Sophia. Negue isto e morra.

      E sobre seu comentário final na parte de spoilers, nós NUNCA esperamos ganhar algo de um manga. Lemos todos de mente aberta, mas diferente da maioria das pessoas, ficamos atentos a quaisquer “bizarrices” que possam aparecer. O verdadeiro crítico não procura erros, ele os enxerga com maior facilidade. E sobre sua fala “não tem porque questionar a maneira do mangá se desenvolver e desenvolver os personagens.” Bem, isso para mim é uma grande besteira. O ponto crítico de qualquer obra grande, que apresenta raízes que nos digam claramente “isto é um foco” ou “aquilo é um foco”, deve obrigatoriamente desenvolver essas coisas.
      É como comentamos novamente em nosso “Como Analisamos Personagens”. Não adianta, como em Naruto, o autor adicionar 20 personagens à obra, utilizá-los durante um arco e fazê-los continuar aparecendo durante a obra inteira, mas sem desenvolvê-los. Desse jeito, todos se tornam praticamente inúteis. A morte do Neiji foi um grande “foda-se” para a maioria inteligente que acompanha/acompanhava o manga, afinal, o personagem não tinha sido desenvolvido, e nos foi mostrado que ele precisava de um bom desenvolvimento. É isso o que criticamos em Eden. A obra nos mostrou que certas coisas precisavam de um bom desenvolvimento, e a maioria delas o teve, mas algumas poucas não. E repito: POUCAS.

      [FIM DOS SPOILERS]

      Concordamos plenamente por ser um “manga completo”, e é justamente por isso que aumentamos nossa “nota”, como foi dito no podcast.
      Em resumo, acho que entendeu nosso ponto, mas não por completo como entendeu Eden. Acho que por ter traduzido o manga, talvez o superestime um pouco. Utilizou orações inteiras e muitos adjetivos apenas glorificando a obra. Não acho isso tão ruim, afinal, Eden é ótimo. Não absurdo, não fantástico, não incrível, mas ótimo.
      Obrigado pelo comentário, e sobre a parte final dele, eu é que não sei como prefere traduzir a comentar sobre algo. Meu “saco” não me permite isso. HAUHAUAhAUhauaH

      Até a próxima. =)

      • E aí, Trilles o/ Pede meu skype e e-mail pra Jéssica pra gente manter contato, conversar sobre Sanctuary, se precisar, e conversar sobre mangás, porque você tem bom gosto xD (aliás, pode passar meus contatos pra todo mundo daqui do EMD porque deve ser legal conversar com vocês \o/)

        [Spoilers!!!]

        E eu costumo visitar o EMD, sei que você adora que te respondam usando argumentos lógicos, mas eu não sei como organizar logicamente ideias para falar de arte. Eu acho que a arte é primeiro criativa e emocional, depois disso pode-se acrescentar qualquer coisa. Então eu não sei como argumentar com lógica algo para defender a arte de Eden. Mas particularmente eu achei a arte de Eden perfeita, não só para o mangá, mas dentre muitas artes que eu já vi ela é uma das minhas preferidas. A arte de Eden é extremamente criativa, nas poses e nas expressões, e de jeito nenhum é uma arte repetitiva. A gente percebe em mangás convencionais artes repetitivas, expressões repetitivas, poses repetitivas. Quem nunca viu a menininha ecchi de mini saia, camisa esvoaçante, calcinha de fora, coluna curvada pra mostrar melhor a bunda, um olho piscado, braço esticado com a mão com os dedos polegar e indicador apontados pra frente? Não tem como dizer que a arte de Eden é repetitiva, mesmo que você não tenha dito isso (desculpa, mas não dá pra lembrar de tudo que foi dito). O que eu notei, e uma coisa que eu achei é que a arte de Eden tinha, é uma certa “engenharia”. Dava pra sentir aquela esquematização anatômica na construção dos corpos, mas isso não é uma coisa ruim, pois as poses eram sempre diferentes, sempre criativas, sem contar que dava pra sentir que cada personagem mexia seu corpo de um jeito. Eu só comentei isso da “engenharia” da anatomia porque é uma coisa que se percebe também em All Rounder Meguru — os corpos são meio “duros”, mas são bem feitos.

        Quanto aos rostos, eu ainda acho que essa nossa estranheza com a semelhança dos rostos é o nosso mal hábito na leitura de mangás de diferenciar as pessoas por características além dos rostos, como cabelo ou roupas. Qualquer mangá é assim. Pegue um shoujo, todo mundo em shoujo é igual, homens e mulheres são iguais nos shoujos (queixo fino, rosto longo, olhos grandes). Aliás, tem um detalhe em Eden que eu reparei… a maioria dos personagens tem o lábio inferior e o queixo pra dentro xD

        Sobre defeitos. Para mim, defeitos em mangás, livros, filmes ou o que seja são coisas inseridas que decrementam, estragam ou atrapalham de algum jeito o que estava sendo feito. Particularmente, eu não lembro de ter visto alguma coisa que eu não gostei em Eden. Agora, talvez vocês não tenham dito isso, eu não posso me lembrar de tudo, mas dizer que algo que faltou no mangá, ou que faltou algo que gostaria de ter visto no mangá, não dá pra ser chamar isso de defeito. Por exemplo, eu queria saber o que a Lethia vai fazer da vida depois do fim, isso não foi dito, mas isso não é um defeito.

        Sobre o Ennoia. Ah, o Ennoia. Ennoia deixou seu cartel de drogas por causa da esposa. Então seus amigos saíram também. Mas quando viu que estavam fazendo merda com seu cartel ele foi lá dar um jeito nisso. O que queria esperar de um homem cuja filosofia é “ame quem te ama e odeie quem não te ama”? Depois de dar um jeito lá, Ennoia foi pegar a mulher dele. Ennoia virou pra um deles e perguntou o que ele estava fazendo ali, e ele disse “eu quero ir também”. Farinha do mesmo saco. Amigos, dos de verdade. Aliás, um dos meus capítulos preferidos de todos os mangás que eu já li é o “Velho mau”. Vocês chamaram isso de overpowered, mas nós não adoramos ver nossos personagens favoritos fazerem o máximo que podem fazer? Não é legal quando o personagem que a gente mais gosta vai lá e pá! pega a gente de surpresa? Torcer pelo personagem favorito faz parte da leitura, então eu não achei essas cenas overpowered. Sem contar que Ennoia sempre foi o mais forte. O mesmo vale para a batalha final do Kenji e do coronel. O mesmo vale para o Querubim.

        Acho que é só isso que eu tenho pra comentar no momento. Mas por favor, comentar desses ninjas (“ninjas”? pffff) que foi a maior cagada do ano no podcast “mais importante, relevante e bem feito” que já foi feito até hoje? Comparar essa cagada — e até memso novelas! — com essa maravilha que é Eden?

        Só pra terminar, você disse que eu superestimo Eden porque eu o traduzi. Eu não o superestimo porque eu o traduzi, eu adoro ele porque ele é um dos meus dois mangás favoritos (empatado com FMA, nem um nem outro em segundo lugar, os dois juntos em 1º). Quando achei um voluminho jogado às traças num sebo, sabia que ia encontrar algo que ia gostar sem nunca nem ter lido. E nunca me arrependi, adorei ter convivido com Eden, ter traduzido, ter lido mais de 5 vezes fácil, e com certeza vou ler de novo, e vou ter ele do lado da minha cama quando puder.

        Agradeço de novo pela review, e espero que mais pessoas possam chegar à Eden a partir daqui.

        Falous ^^

        • Agora sim, posso dizer que concordo com tudo o que disse. As duas coisas que comentou dizendo “não sei se falaram isso”, não, nós não falamos. Logicamente, já que você falou tudo corretamente. Não podemos caracterizar como “erro” algo “a mais”. “Erros” em Eden que pudemos encontrar foram técnicos na arte do manga, a falta de desenvolvimento do relacionamento entre Ennoia e seus dois seguidores (o autor nem meio deu a entender que eles eram amigos de verdade em nosso ver) e no exagero em certas cenas (que apesar de gostarmos, em certos casos fica pesado de aceitar). Além disso, algumas coisas que nos incomodaram pessoalmente foram: a entrada de John Meigas, a mudança de foco da obra (do mundo dividido pela propátria para a colóide), o final apresentando o comum e genérico “escolhido”, dentre outros.

          E concordo novamente com você. Eden definitivamente não é uma obra como todas as outras.
          Lhe adicionarei no skype.
          Obrigado pelo comentário e até a próxima. =)

  11. Vocês já leram Jojo Bizarres Adventure? Queria começar a ler, mas parece que já tem mais de 800 capítulos, então queria saber se vale a pena!

    • Já vimos o anime (que engloba os 2 primeiros arcos) e lemos parte do manga. É uma obra muito boa, definitivamente, mas fico com medo com o rumo que a obra pode tomar após 300 capítulos. É muita coisa, e pode ser muita coisa repetida e/ou sem sentida.

      • Bem, eu li o mangá inteiro e recomendo MUITO. Nos dois primeiros arcos o mangá já é bom, mas é do terceiro arco pra frente que ele fica incrível. É cansativo ler todos os 800 capítulos mas vale muito a pena, hoje é um dos meus mangás preferidos.

  12. Uma pergunta: Vocês pretendem voltar com suisei no gargantia no ranking semanal? Esses ultimos episódios me fizeram voltar a ter esperança com o anime, foram muito bons.

    E outra, porque vocês não fazem um podcast sobre One-Shots? Já li vários one-shots ótimos daria uma ótima pauta pra podcast.

    • Uma pergunta: QUEM É VOCÊ?! o.O

      Mas não, não voltaremos com Suisei no Gargantia. Entendemos que a obra possa ter melhorado, e não negaremos isso, mas realmente a dropamos, não assistimos mais nada. Acreditamos que um anime de 12 episódios que apresente 4 episódios medianos/ruins não merece nossa atenção. Como gosto de falar, procuro sempre pelo fantástico, e com certeza não o encontraria em Suisei no Gargantia. Aliás, todos falam que Jojo só melhora a partir da terceira temporada. Agora estou ainda mais louco por uma continuação do anime.

      E sobre o cast de one-shots, pretendemos lançar uma série “Leituras de Bolso”, onde recomendaremos obras de até 2 volumes, incluindo one-shots. =)

      • Sou o Emanon, prazer.

        Vou estar esperando por esse cast de obras curtas, amo bons mangás curtos e acho que vai ser bem útil pra quem, como eu, não é muito chegado a obras com muitos capítulos.

        E sim, jojo fica incrivelmente mais fodástico do 3º arco pra frente. Peço a kami-sama todo dia pra que os japas animem o resto dos arcos, porque de onde pararam pra frente só fica mais e mais épico.

  13. Essa semana mesmo comentei em meu twitter sobre Eden.

    É um mangá muito bem feito, ainda estou no quarto volume, mas já dá pra perceber que vai melhorar bastante. Uma arte ótima, uma história envolvente e principalmente um bom desenvolvimento.

    Belo podcast.

  14. não li pq gosto muito de animais e já no primeiro volume de eden tem duas cenas bem desagradáveis (pra mim) aí eu deixei pra lá u.u

    eu tenho 2 sugestões de review:

    koi kaze – um mangá bem polêmico e com uma arte fabulosa.
    girlfriend – uma série sobre a descoberta do sexo na adolescência (daria um ótimo programa)

    • o.O

      Animais não morrem constantemente durante a obra. Pra ser sincero, só lembro de um cavalo morrendo à tiros no último volume… Nem lembrava desses iniciais que você está dizendo.
      Acho que deixar de ler um ótimo manga, completamente diferente de tudo que já viu por um amor a animais é viagem demais.

        • o.O

          Não sei se reagiu rápido demais sem pensar, Lillian, mas hoje a Jéssica do nosso grupo está assim também. Não fui grosso, pelo menos não foi, nem perto, a intenção. Não é questão de você morrer se não ler Eden, mas como comentamos, de todos os mais de 1000 mangas e animes que conhecemos, Eden ultrapassa qualquer um deles em quantidade de informação. Ou seja, se você se interessa por conhecimento e cultura em geral, o manga é um prato cheio. E não acho que seja apenas para quem “se interessa”. Se o povo brasileiro tivesse mais cultura e conhecimento, nosso país não estaria tão fodido como está hoje, a ponto de necessitar uma ação drástica de nossa população (os eventos que vêm ocorrendo na grande São Paulo), ou discorda? Se o povo tivesse mais conhecimento e cultura, eleições seriam mais lógicas, não teríamos tantos impostos, nosso país estaria evoluindo muito mais rápido do que já está, e não sentiríamos (muito sentem) vergonha de sermos brasileiros.
          Enfim, não estou dizendo que você é idiota ou “fresca”, apenas que Eden acrescenta MUITA coisa ao consciente e ao conhecimento de cada um. Acho uma leitura muito importante, quase obrigatória, principalmente para quem é de mente aberta a novas ideias. Recomendo muito a leitura a você. Se você não quiser ler, não leia, mas só estará perdendo, garanto.

          Um abraço e até a próxima. =)

  15. Tenho as edições 1 ao 13,19 e 20 e me desapontei quando li que a Panini cancelou a publicação por conta das baixas vendas.Uma pena,pela estória ser muito boa e cativante.Ok,só nos resta ler digitalmente agora…

    • Estamos colocando os podcasts em um novo servidor, os casts estão sendo re-upados.
      Recomendamos que assine nosso feed ou nosso podcast no Itunes, assim receberá as atualizações e assim que o cast for recolocado ele estará disponível para você.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s