EMD Cast #133: Melhores e Piores – O Último

Fala, pessoal! Desculpem-nos pelo  atraso no MeP, mas estamos fazendo o melhor no momento. Não deixem de escutar e comentar.

Fica aqui um aviso também de que este será o último MeP semanal que faremos e provavelmente amanhã iniciaremos a nova sessão “Comentando” (se eu não desmaiar à tarde), substituindo o MeP,  que consiste em comentar sobre os capítulos/episódios das obras lançadas durante a semana o mais rápido possível e separadamente, sendo Hunter x Hunter a primeira obra a ser comentada amanhã (provavelmente, repetindo).

A série “Comentando” fará o mesmo que o MeP, mas EM TEXTO, que vocês preferem, e será uma série de posts POR SÉRIE. Comentaremos de cada uma separadamente. Amanhã darei mais detalhes, se o post for feito, mas por enquanto curtam o nosso último MeP!

 -> PODCAST <-

Lembrando que recomendamos que baixem nossos podcasts.

Para fazer o DOWNLOAD e/ou ESCUTAR ONLINEBox.

*As informações desse podcast podem ser encontradas no final deste post.

-> LISTA <-

Piores da Semana:

Obras inéditas no MeP:

GUNNM – volumes 2 a 7 – [00:08,10] – piores

Karate Shoukoushi Kohinata Minoru – volumes 1 a 10 – [00:35,56] – piores

Monster Musume no Iru Nichijou – capítulos 1 a 20 – [00:37,38] piores

Princess Lucia – capítulos 1 a 29 – [00:40,20] – piores

Melhores da Semana:

Obras inéditas no MeP:

Code Geass Akito the Exiled – episódio 1 – [ 00:42,48] – melhores

Koe no Katachi – capítulos 1 a 4 – [00:48,50] – melhor que o one-shot

Shingeki no Kyojin Before the Fall – capítulos 1 e 2 – [00:52,54] – melhores

The Frienly Winter – completo – [00:57,50] – melhores

Obras já constantes no MeP:

Akagi – [00:44:00] – episódios 15 a 17 – [01,01,16] – melhores

Haikyuu – capítulo 75 – [01:03,53] – melhores

Hajime no Ippo – [00:49:00] – episódio 08 – [01:06,10] – melhor que uma pilha de merda

Hunter x Hunter – episódios 105 106 – [01:06,40] – melhores

Nagi no Asukara  – episódios 08 e 09 – [01:17,03] – melhores

One Piece – capítulo 729 – [01:28,55] – melhores

Sanctuary – capítulos 82 a 84 – [01:35,35] – melhores

Vinland Saga – capítulos 98 e 99 – [01:39,37] – melhores

Green Blood – volumes 4 e 5 (final) – [01:41,20] – piores (Lucas estava com preguiça de colocar no lugar certo)

Espero que gostem. E até a próxima!

38 pensamentos sobre “EMD Cast #133: Melhores e Piores – O Último

  1. Não sei se a ideia do “Comentando” é tão boa pois, caso muitas obras sejam comentadas, acho que os posts deste tipo podem acabar floodando o site com apenas estes, apesar de que o novo design pode servir para impedir isto🙂 E realmente gosto do formato em texto, apesar de que passei a sentir pena do Trilles, principalmente agora que já me acostumei com podcasts, mas que o público que vai lê-los irá ser maior do que o que ouvia aos PCs, isso é certo.

    Fora isso, okay… Gunnm nos piores e “apenas” 30 minutos de discussão. Assim que eu vi sabia que isso não ia acabar bem. No que é que você foi se meter, Trilles?😉

    • O motivo da atualização no site, além da estética, obviamente, foi deixar válido o design para posts recentes. Do modo que estão agora os últimos quatro posta lançados, não haverá flood.
      E sobre ter pena de mim, se for pelos textos, cada um fará o seu. =)

      • Agora que ouvi a explicação no podcast e pensei quanto ao funcionamento dos posts entendi por que o design vai funcionar muito bem para a nova ideia. E, sim, minha pena era por você ter que escrever tudo, mas como está concordo que a mudança foi para o melhor🙂

        Sendo honesto achava que os 30 minutos direcionados à Gunnm seriam parecidos com o que aconteceu com Wolf Guy em um dos casts, mas me surpreendi para o melhor. Acho que foi bom que o Estupra não participasse desse cast porque você e o Lucas argumentaram muito bem quanto ao porquê da obra ser ruim e não acho que conseguiriam fazer-lo com o Estupra junto.

        Eu li o 1º volume da obra e me incomodei com algumas coisas, diversas delas mencionadas por vocês como a movimentação, na minha opinião, muito exagerada e com movimentos em lutas como piruetas e manobras desnecessárias; no ritmo com que o plot se passa, não é mostrado e nem sequer dito para o leitor quanto tempo se passa desde o Dr. encontrar a Gally até montá-la completamente, fazendo com que a relação dos dois pareça forçada; lutas com reviravoltas demais, algumas meio bestas, e com explicações enormes durante batalhas. Mas, mesmo assim, ainda via bastante potencial na obra e estava satisfeito com o que vinha sendo apresentado. Fiquei triste por provavelmente não ser o caso, mas vou ler para tirar minhas conclusões.

        Como o Roberto já falou o Nen que enlouqueceu o Knov foi do Pufu mesmo e não do Pitou, que estava curando o Rei, nem do próprio Rei.

        P.S.: Trilles não foi você mesmo que assistiu a Code Geass umas 8 vezes ou sei lá… Sua opinião deve ter mudado quanto a isso com o passar do tempo, só falei porque achei engraçado/irônico você falar que acha isso idiota🙂

        • Sim, imaginamos que era do borboleta.
          E sobre o PS, não entendi. O que comentei que acho idiota? Não lembro, me desculpe. Ah, saquei, sobre assistir várias vezes? Assisti a Code Geass oito vezes quando tinha 15-16 anos, cara. Mudei muito desde então (estou com quase 21).

  2. Particularmente eu apoio mudanças, desde que não seja pra pior, igual as que o youtube está fazendo, está legal esse layout. Sugestão : obras ”Mensais” devem receber um post só delas, tipo : ”Obras Mensais – SnK + Claymore” no mesmo post ou até mais do que duas, já que vocês acompanham muitos obras.

    Vocês não comentaram sobre Toriko, o Shimabakuro, Kubo, *autor de FF – seilá o nome* e Oda lançam na mesma periodidade de Kishimoto e os quatro tem uma arte superior, então realmente não há desculpa pra arte ser ruim assim.

    O En que o Novu sentiu foi do Pufu, até porquê Neferpitou não pode usar o seu En quando está usando sua Doutora Blythe e nesse episódio 107 a Neferpitou acabou de curar o Rei e mudou a cor do En que foi emitido (deixando claro que quem estava usando naquela hora era o Pufu), simplificando agora é a Pitou que está no comando do palácio. Eu não consigo nem imaginar oque o Novu iria fazer se sentisse o En da Pitou…

    Estava com vontade de ler Green Blood por ter uma arte foda, mas não gosto de estória ruim, então passo reto. Trilles, tenta atualizar seu mangalist lá.

    Qual é a música do final do cast 1:48:00 ?

  3. Também apoio a mudança do Layout, mas deviam mudar a cor da fonte em certas partes; por exemplo, os textos dos posts estão mais chamativos que o título deles, além de que se força um pouco a vista para ler algo com tamanho brilho. O que eu mais gostei foi a ênfase que deram para as reviews, que afinal deveria ser o principal conteúdo do site.

    Eu não gostaria que o podcast M&P acabasse, mas a nova série de posts parece mais promissora em todos os aspectos, então vale o teste.

    Boa sorte, e aguardando o Comentando Hunter x Hunter, que parece ter entrado em outra fase “Calm Before The Storm” mesmo que só um pouco, mas a preview do 108 tá prometendo!😀

    • Está falando de que textos, Leo? Devo dar uma olhada. Mas saiba que não está tudo certo ainda. Preciso consertar várias páginas e posto do site.

      E as reviews não “deveriam” ser o principal conteúdo do site. Elas são e sempre foram. Estamos apenas tentando fazer com que o público veja isso também. =D

      Não terei muito o que comentar sobre o episódio da semana, mas não vi a preview do próximo, que provavelmente terá um bom post.

      • Bem, quando eu abro o site a primeira coisa que reparo é o destaque das reviews, abaixo disso o que mais me chama a atenção é o texto em preto ou as estrelinhas de rating. Eu digo que os “Títulos” estão chamando pouca atenção, o que acho que deveria ser mais destacado. Mas não me incomoda ao ponto de dizer que está ruim, só não é tão destacado quanto era ates.

        O episódio 107 de HxH não teve muito mérito próprio como episódio, ele só foi bom por ligações com outros episódios, então como definição de “melhores” ele não o seria. Foi uma respirada shonen; como eu disse antes, “The Calm Before The Storm”. Mas eu deveria comentar isso em post sobre o episódio em questão e não aqui, né? ;P

  4. Vocês não acharam a reação do Knov exagerada diante do Nen do inimigo no palácio? O cara é um Hunter experiente , razoavelmente forte e com uma habilidade que poderia tirá – lo do palácio com uma certa facilidade . Mesmo que o Nen que ele sentiu fosse muito mais forte justificaria esta sensação de pânico? Acompanho e gosto da série Shingeki no Kyojin , se fosse para comparar com Hunter x Hunter diria que o mistério e a arte de Shingeki me atraem mais . Mas em termos de luta e de personagens fico mais interessado em Hunter x Hunter. Não sou contra spin – offs , mas os leitores e os autores precisam encarar as histórias como releituras e não como cópias ou complementos da história original. Obrigado a vocês do ‘Ecchi Must Die! ‘por elevarem a minha bagagem cultural com obras como Sandman , Pluto, Preacher, Shingekl, Oyasumi Punpun, Watchemen, entre outros!

    • Não vi problemas na reação dele, Gabriel, pois todos os hunters até hoje ficaram paralisados na presença de um Nen forte.
      Lembre-se do Kaito a quilômetros de distância da Neferpitou que sentiu um medo absurdo instantaneamente. Sabemos que o En dela vai mais longe que o do borboleta, mas se o “poder” deles for igual ou sequer péssimo, entendo perfeitamente o pensamento de Knov. Não sabemos o quão forte ele é em relação ao Kaito, mas sabemos que os dois tem potenciais próximos. E como Kaito é muito mais de “batalha” do que Knov, que é muito mais estratégico, entendo o medo de Knov. Sem contar que ele já estava numa situação tensa há horas, estava cansado, não podia ser descoberto senão arruinaria as chances dos hunters e afins. Ele estava num momento extremamente tenso, e para acabar tudo ainda se depara com um Nen extremamente mais forte que o dele com intenções assassinas. Observando apenas essa cena, principalmente para um leigo em Hunter x Hunter, ela pareceria exagero, mas observando tudo que já ocorreu até então, principalmente contando a reação de hunters a seres de Nen superior (lembra do Killua e Gon subindo na torre e nem conseguindo passar pelo corredor por conta de Hisoka?), consigo entender os sentimentos de Knov.

      • Trilles seus argumentos tem coerência e concordo com muitos deles . Sim o Knov estava sobrecarregado emocionalmente, sim ele não esperava sentir um Nen tão abissal e sim ele receava que o inimigo o torturasse para descobrir os planos do Hunters. Mas eu não esperava que ele ficasse tão desesperado. Ele mesmo tirou sarro do Killua por ter se cagado diante do inimigo. Citando a Biske e complementando com a minha interpretação: Um Hunter deve saber tirar proveito de qualquer situação , deve encarar o problema como sendo algo possível de ser solucionado(seja se aproveitando das vulnerabilidades do inimigo, seja formulando estratégias, seja desenvolvendo seu Nen, seja formando alianças, seja sacrificando a integridade ou a vida para se atingir o melhor resultado possível ). Claro tem muitas situações sem possibilidade de solução imediata ou mesmo sem solução, contudo depende do Hunter ou de qualquer um aceitar a impotência ou tentar resolver mesmo sem dar em nada . O Killua melhorou bastante depois de suavizar a maneira como ele encarava os problemas. O Kaito sabia que ele não tinha chance contra a Pitou , porém ou ele agia ou todos ( ele , Gon e Killua) iriam prosear no céu. E convenhamos ele teve bolas.

        • Sim, e bolas foi definitivamente o que faltou para Knov, mas aí entramos naquela situação. Além de hunters, todos são humanos, e humanos, como sempre diferentes, agem de forma diferente dependendo da situação. Embora a “moral” de um hunter diga algo, pela pressão Knov não aguentou e desistiu. Achei plausível, e como como um grupo concordamos por aqui, achamos meio “incoerente” julgarmos ações e decisões de personagens, afinal, em maioria, são humanos, e humanos cometem erros, agem de forma ilógica e afins, inúmeras vezes até.

          Obrigado pelos comentários e até a próxima.

    • Que lerdo eu sou… esqueci de procurar nas reviews. Vou conferir Holyland…
      Esse desespero do Knov serviu para mostrar que apesar dele ser forte fisicamente, ironicamente é fraco psicologicamente (lol, ele ainda julgou se os outros hunters eram aptos para participar da missão). Em contraste temos o Kaito que encarou um face off com a Neferpitou aleijado. E não foi sem motivo, teve todo aquele background (do Kaito) mostrando o porque dele ser forte mentalmente… sinceramente, eu me impressiono como a narrativa de HxH evita erros de continuidade…
      Obs: Kuroko no Basket parece que tá virando uma partida de dodgeball de Greed Island, só que ruim.
      Obs2: Trilles, lança o melhores músicas do mês por favor cara, é um dos melhores posts do site.

  5. Trilles, eu acabei ficando curioso quanto ao Akagi já que ele entrou no Crunchyroll e no MeP a pouco tempo, mas apesar de ter entendido o básico queria entender mais, principalmente os termos usados que o CR não traduziu, coisas como Dora, Mangan, Po, Chi, Kan, entre outros. Tem alguns termos que consegui entender por lógica, mas ainda sinto que preciso de um conhecimento maior.

    Já estou no episódio 3 e entendi o jogo bastante para me entreter e achar muito bom (apesar de pausar o episódio a cada mão que aparece ou comentário mais elaborado do narrador) e queria saber se você viu as regras do jogo em algum site ou ficou só com o pouco dado inicialmente pelo próprio anime?

    • Na verdade fiquei apenas com o que o anime me proporcionou, pois para criticá-lo não posso contar com informações que consigo fora dele. De fato, nem tudo é explicado sobre o jogo. Comentei sobre isso no primeiro MeP em que comentei sobre o anime. Talvez essa seja uma das qualidades dos mangas de seu autor, pois você pode ler devagar cada uma das explicações e prestar atenção em cada página, enquanto o anime é mais dinâmico. Mas esse dinamismo não me causou problemas até então. Como você mesmo disse, algumas das jogadas compreendi logicamente, e elas foram o necessário para eu entender como o jogo se desenvolve.
      A beleza não está, em minha opinião, no brilhantismo de cada jogada, mas na estratégia e no estilo de jogo que Akagi usa para quebrar a cabeça de seus adversários. O autor é muito bom ao desenvolver o psicológico humano, que pode quebrar a qualquer momento. E ele cria ótimos personagens para simbolizar o clássico humano “fraco” e também o “forte”. É isso que mais gosto nas obras dele, e Akagi não é diferente disso, embora deva ressaltar: Kaiji e Gambling Emperor Legend Zero são melhores.

      Obrigado pelo comentário e até a próxima.

      • Entendi, obrigado pela resposta🙂 Acho que vou me manter com o essencial mesmo, entendi a maior parte dos termos só vou pesquisar pelo Dora mesmo. Outra coisa que está me atrapalhando é que ao contrário dos círculos ou bambus, a numeração das peças de letra estão em japonês, do 1 ao 3 é de boa mas depois disso complica um pouco.

        E entendo o ponto de que a beleza está em como o jogo propriamente dito cria um jogo psicológico entre personagens, interessante o bastante para que eu, mesmo com certas dúvidas, não perdesse a atenção e continuasse considerando o anime muito bom.

        Mas, já assisti à primeira temporada de Kaiji e estou preferindo, por enquanto, Akagi a ela. Assisti faz um tempo e lembro que, na época, não gostei tanto assim do anime. Eu gostei e achei bom, mas nem perto do que esperava.

        Eu quero comentar um pouco mais sobre Kaiji então, vou fazer outro comentário argumentando (eu já comecei a escrever, mas ele ficou grande demais para eu lançá-lo junto com esse ^^).

        • Na minha opinião, o narrador que em Akagi funciona muito bem para explicar as regras do jogo, pensamentos e jogadas que eu não conseguiria imaginar sozinho, até por não estar familiarizado com o jogo, em Kaiji muitas vezes constatava coisas óbvias que não precisavam de uma explicação, principalmente no 1º arco. Por isso me vi irritado com o narrador em diversas ocasiões, quebrando a imersão. Pra ser justo, gostei mais do narrador nos próximos arcos onde ele fala mais sobre os sentimentos dos participantes e não continua falando coisas óbvias demais. Apesar do narrador, eu ainda considero o 1º arco de longe o melhor.

          No segundo arco, eu me decepcionei com o jogo criado pelo autor porque ele não tinha a inteligência presente no 1º. Sem contar coisas que forçaram a barra como a pegadinha no final da barra, não consegui engoli uma escada de vidro no fim… Não, sério WTF!! De novo, pra ser justo, ele tentou balancear a falta de inteligência do jogo com um aumento na ideia da maldade humana, mas ele tinha conseguido equilibrar os dois no 1º arco, fazendo com que eu não gostasse tanto desse 2º como gostei do 1º.

          No 3º arco, o jogo das cartas foi muito mais interessante e inteligente, mas não gostei da trapaça utilizada. Não porque era uma trapaça, mas porque achei sem graça e previsível, tanto que pensei nisso, mas descartei a possibilidade por achar uma ideia preguiçosa. Não foi uma trapaça inteligente/interessante como ocorreu nesse primeiro jogo de Akagi, com coisas como a “Lagarta” e mandar um Kan com uma peça de blefe que foram interessantes/inesperados para mim. Apesar que gostei bastante do que decorreu disso com Kaiji cortando a própria orelha. Além do momento final ter sido muito bom com o vilão derrotado sendo submetido a alguém maior e mais importante. Gostei principalmente do autor ter conseguido me fazer simpatizar com o vilão menor, por meio do orgulho dele, sem tentar redimi-lo e me forçar a o perdoar só porque um vilão maior havia chegado.

          Agora, o último arco (graças a Deus o mais curto)… Esse me incomoda desde o começo e estranho que ninguém mais partilhe do meu ódio a esse arco tanto que acho que eu que sou chato. O fato do protagonista decidir que vai enfrentar o chefão, ir ao banheiro e arquitetar todo um jogo e depois ter o chefão aceitando jogar contra ele em um jogo criado por ele “na hora” me parece forçado e incrivelmente imbecil… O protagonista não podia achar que qualquer pessoa fosse acreditar ou aceitar isso sem desconfianças e ressalvas, logo o personagem que vinha sendo apresentado como extremamente inteligente. O cara aleatório dizendo como Kaiji era incrível por ter pensado em algo do tipo não ajudou nem um pouco.

          E aí, o jogo se passa normalmente com o “Final Boss” mostrando como é mais inteligente que Kaiji, que em breve vai demonstrar não só a maior idiotice da obra mas de muita coisa que já vi. O vilão ganha puxando um papel claramente amassado… E eu acho que era bem claro que isso era proibido por razões claras. A essa altura, eu queria mais que ele perdesse o braço inteiro. Ver ele falando como foi burro e se perguntando se estava cego amenizou um pouco minha raiva, mas nem de perto o bastante.

          O comentário ficou bem grande e só comentei mesmo das coisas que me incomodaram, mas gostei, sim, da obra com apenas as poucas exceções que eu listei. Mas, com certeza espero por algo melhor vindo de Akagi.

        • Velho, lembrou muito bem!! Aquela escada de vidro me deu pesadelos!! HAUaHuaHaUha. Está certo nesse ponto. O segundo arco teve um final triste.

          De fato, Kaiji tem seus problemas, por isso prefiro muito mais a primeira temporada de Gambling Emperor Legend Zero (primeiros 8 volumes do manga). É a melhor obra que já li dele. Porém, continuo achando muito criativos os jogos que ele utiliza na estória. São jogos de fácil compreendimento, como “pedra, papel e tesoura” e o do “rei, escravo e soldado”. E ele utiliza esses jogos simples de forma exemplar. De fato, os fins de alguns arcos de Kaiji são bem convencionais, mas isso não foi diferente até então em Akagi. O personagem é um gênio que nunca perde. Simples assim. Então você sabe quando acontecerá uma jogada boa e quando não acontecerá nada demais.
          Um problema que vejo no narrador de Akagi é que ele é spoiler puro.
          “Mal sabia seu inimigo que ele estava preparando o abate na próxima jogada!”
          DERP, lá se vai minhas ideias do que aconteceria no jogo.
          Sofre esse problema em questão de previsibilidade em várias obras, mas o que brilha muito, em minha opinião, nos trabalhos dele, é essa facilidade que ele tem de utilizar jogos simples e até de criar jogos novos, com ideias e regras básicas, que são utilizados para levar seres humanos à situações extremas. Fazendo-os pensar muito no que podem perder com seus problemas.
          Não tinha pensado nisso antes, mas todas as obras desse autor são um tapa na cara de apostadores. Mostram que jogos de azar são ilógicos e que nada de bom pode vir deles.

    • A página de Ranking Pessoal não existe há mais de ano, João. No entanto, se for no menu “Reviews” -> “Ranking de Obras”, verá as notas que demos para todas as obras e as obras que tiveram review em ordem de qualidade para o grupo.
      Alerto, no entanto, que estamos atualizando a página, então seria melhor se o senhor esperasse uma semana mais ou menos para ter nossas notas corretas em pauta.

  6. Não estou conseguindo responder diretamente então vai por aqui. Vou procurar essa obra dele, conhecia apenas Kaiji e Akagi🙂

    Kaiji teve uns finais de arcos ruins, o da escada foi tenso mesmo kkkkkkk, mas ainda acho o final do último pior pela pura idiotice. Mas adoro o fim do 1º arco, até porque acho que é a 1ª vez que ele apresenta tão diretamente a maldade humana na obra e numa forma muito boa através da ingratidão dos salvos por Kaiji.

    Eu gosto bastante dos jogos criados para o 1º e 2º arco, mas acho que o do 2º faltou a inteligência característica do autor. E é justamente por serem de fácil compreensão, porém com complicações interessantes que gosto deles, mas os jogos são simples bastante para que não precisem de narrador, às vezes me sinto ofendido pelo autor estar explicando algo tão óbvio…

    Vi apenas 3 episódios de Akagi então não posso falar sobre fins de arco ainda, mas a preview do 4º episódio dá a entender que ele perde e leva um tiro então esperava mais nessa frente… Não me incomodei muito com o narrador falando isso, talvez porque realmente esteja um pouco perdido no jogo🙂 Me incomodou mais o discurso do começo e os vários lembretes de como Akagi é “O Gênio que desceu às sombras” e vai virar o grande senhor do submundo, BEM desnecessário.

    Até agora só vi a introdução à história e um jogo em Akagi, quero ver também pra onde é que o autor vai levar a obra em termos de trama, já que mangá de esportes não é o principal objetivo dele🙂

    Quanto a seus 2 últimos parágrafos, concordo plenamente. Nunca parei pra pensar na crítica aos jogos de azar. mas definitivamente está lá🙂.

    • Ele é de fazer esses narradores SEMPRE em suas obras. De certa forma parece exagerado, mas acho que é de propósito de tanto que ele repete isso. Acho que é uma tentativa de, de fato, ridicularizar a situação.
      Ex: Sempre há um vilão que ridiculariza o “bonzinho”, e ele utiliza essa narrativa exagerada pra “colocar o vilão em seu lugar”. Tipo um “fica quieto aí”. Acho que foi feito pra ser exagerado, assim como a arte dele. É perceptível em Akagi que ele sabe desenhar muito bem, mas os rostos ele faz extremamente zoado. Tem alguns personagens em várias obras dele que normalmente são colocados como “os que são passados a perna”/”ingênuos” que sempre tem uns dentões pra fora sem forma. Visivelmente é de propósito para criar ao personagem um ar de imbecilidade. Acho que ele faz o mesmo na narrativa, mas isso é algo que discutiremos no Desmas… Ops. Mais detalhes no futuro.😉

  7. Obrigado. Aguardo ansioso pela atualização, agora que estou em uma situação que me permite assistir e ler mangás de uma forma muito mais agradável e satisfatória necessitava de umas recomendações.
    Continuem com esse ótimo trabalho tanto na tradução e edição dos mangás quanto em suas reviews. Abraços tudo de bom.

  8. Gostei da ideia do “comentário”, Dividir as análises por obra, e cada membro fazendo sua análise vai aumentar o ritmo de atualização no site. Mesmo com conteúdos menores, deixar o site sempre atualizado vai trazer mais movimento. Mas Trilles, achei muito nonsense isso de achar idiota rever obra, se é em anime é ainda mais normal. As vezes você deixa escapar algum detalhe ou movimento durante uma luta que você repara numa segunda assistida, ou para pra analisar melhor algum diálogo vendo uma segunda vez. Eu faço muito isso,vejo duas, três vezes um episódio que eu achei épico, ou que eu vi algo de interessante, ou até mesmo pra lembrar alguns acontecimentos que tinha esquecido.

    • O que critico em rever episódios e séries completas não está em rever para tentar enxergar coisas que não compreendeu antes, ou para simplesmente assistir algo divertido novamente. Mas o exemplo dado no podcast é de um moleque que assiste 20 animes desta temporada e assiste 8 vezes um episódio de um deles em apenas uma semana. Ele não está vendo porque não percebeu algo oculto no episódio, ou porque alguma informação foi perdida. Ele vê novamente porque não tem nada para fazer na vida, porque não tem senso crítico, porque adora garotinhas, porque já falou para todos nesse grupo do facebook que prefere garotas 2D às da vida real. O moleque é um doente mental.

      Agora, eu mesmo estou revendo Mawaru Penguindrum para fazer uma review, pois sei que na época em que assisti a série pela primeira vez não tinha o senso crítico que tenho hoje e que provavelmente perdera muitas informações. Estava certo.
      Dependendo do motivo, não há problema em rever uma obra, mas na maioria dos casos as pessoas reveem por não terem nada para fazer. Inércia. Em vez de procurarem obras diferentes e tentarem se aventurar com algo novo, continuam vendo a mesma merdinha um milhão de vezes.

      • Ah ok, tinha dado ao entender que rever obra por si só seria idiota, sendo que você mesmo relê obras pra fazer as reviews, tipo não faria sentido. Bom, se ele viu 8 vezes deve ter tido algo divertido nisso, nem que seja algo meio masoquista. Quem sabe? Anyway, realmente as vezes dá um certo “preconceito” de começar uma obra nova, até porque diversas obras tem um começo bom, mas depois pioram e se tornam ciladas e acaba que você perdeu seu tempo. E esse é um dos motivos pra eu sempre ver reviews e análises daqui principalmente (que são as que eu mais me identifico), também as do kitsune, enfim opiniões pela internet. Eu por exemplo atualmente estou acompanhando o anime de hunter x hunter e One Piece, os mangás de Claymore e Berserk que saem aleatoriamente e terminando a HQ do watchmen que eu comprei por causa da review daqui do site e não me arrependi até agora. Mas agora que eu to de férias, quero pegar uma obra completa pra ler, então estou na busca, se tiver alguma pra indicar eu agradeço.😀

        • Já leu tudo que indicamos? De tudo que já li, as preferidas são Holyland, Annarasumanara (traduzido por nós) e Oyasumi Punpun. Se ainda não as leu, corra! =)
          Cada uma tem uma review no site, mas não escute a review de Annarasumanara. Apenas vá na fé. É meu top 3 e o podcast é repleto de spoilers.

  9. Green Blood você não podemos julga-lo por mais de 1 volume ou até mesmo por mais de 1 capítulo por vez, por que cada capítulo tem a sua unidade a ser fechada, oque o torna extremamente ótimo porquê não tem enrolação, lendo-se ele rapidamente, você irá ter a sensação de que não leu nada, mas na realidade perdemos varios pontos da estória que poderiamos ter nos deixado mais ”satisfeito”. Para um mangá que não é serializado como Oyasumi Punpun, se lessemos enquanto saia 1 capítulo por semana, todos iriam gostar da obra. Só comentei agora da obra, porquê acabei de lê-la e percebi que ela tem muita qualidade quando não tinha mais nada para ser lido porquê simplesmente a Scan ainda não fez o resto, por isso cheguei nessa conclusão.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s