Comentando: Hunter x Hunter – Episódio 127

Fala galera, aqui é o Shaturanga do Selected Mangás comentando mais um episódio de Hunter x Hunter. Iremos comentar o episódio 127 do anime, o primeiro episódio após o super episódio passado que foi a despedida de Netero e o começo de uma nova fase do arco das Formigas Quimera.

127

 

O início do episódio narra as características básicas da Rosa em Miniatura que Netero usou contra o Meruem.  Tal acontecimento e explicação só tornaram a obra ainda mais crível e realisticamente humana. Nunca que os engravatados iriam ficar sentados em suas cadeiras confortáveis sem terem certeza que a ameaça seria destruída, independente dos meios e dos sacrifícios de soldados e de cidadãos inocentes.

A escrotidão da humanidade é reforçada. Não existe mocinho aqui, incontáveis famílias já foram destruídas por motiveis fúteis e egoístas. Isso funciona até mesmo como sátira política, em contraste com as palavras finais de Netero que o potencial de evolução humana é ilimitado (ele não falou que essa evolução seria para melhor). Ainda tem mais características importantes dessa bomba, mas isso é algo mais para a frente.

hxh127 (1) hxh127 (2) hxh127 (4) hxh127 (6) hxh127 (7) hxh127 (9)

Indo para a parte do Gon, no mangá não fica muito claro se ele estava falando da Pitou ou da Komugi ao falar que ia matar se a Pitou fizesse alguma gracinha, mas mesmo assim nós notamos os papéis invertidos aqui por causa da mudança da referência e do ponto de vista. Fica clara a inversão de papeis, dando a impressão que os humanos e os hunters que são os vilões. Eu penso que o Gon sabia que a Komugi para aquele momento era tudo para a Pitou, uma simples ameaça a vida dela já colocaria uma pressão terrível na Pitou, restringindo a sua linha de ação. Assim, ele vai sozinho até Peijing, prevenindo que a Pitou pudesse capturar um aliado seu para tentar forçar uma troca de reféns, algo que obviamente foi bem pensado pelo Togashi, mostrando que ele se preocupa com os detalhes. A pressão paralisante que o Gon impõe sobre a Pitou é algo que até o espectador sente, ele dispensa o Potclean do Knuckle e coloca a Komugi como refém, falando que iria confiar nela olhando no branco de seus olhos.

Essas motivações e falta de escrúpulos são características humanas extremamente comuns em momentos em momentos de desespero, principalmente em guerras e jornadas pessoais. São poucos os autores shounens que tema audácia e a habilidade para fazer essas trocas de perspectivas, afirmando que em uma guerra tudo depende do ponto de vista, e que ao passar dos séculos o vencedor é sempre visto como “correto”.

hxh127 (13) hxh127 (14) hxh127 (15) hxh127 (20) hxh127 (21) hxh127 (23) hxh127 (27) hxh127 (29) hxh127 (30)

É de notar que no episódio 85 o Morel falou para o Killua que não deveria analisar as chances de vitória apenas pelo tamanho aparente do Nen do adversário. Embora tenhamos achado em várias partes do arco que ele estava errado ao ver a força tremenda do Meruem e dos guardas reais, nesse caso do Gon ele estava certo, mesmo que o próprio tenha de fazer sacrifícios severos. Embora a Pitou tivesse um Nen mais intenso, Gon está dominando completamente a situação por causa das circunstâncias, provando que o estado mental é tão importante quanto seu potencial de batalha.

Voltando ao assunto do rei Meruem, o Netero realmente usou um truque humano sujo e isso revela que embora o rei fosse invencível em comparação com os outros hunters e adversários, ele não era indestrutível. A bomba que o Netero usou era dez vezes menos potente que uma Rosa em miniatura convencional e causou um estrago imensurável ao seu adversário. As armas químicas e biológicas que os humanos criaram poderiam destruí-lo, tirando essa estigma de vilão superpoderoso que pode acabar sozinho com a Terra e o Sistema Solar, conceito tão explorado em shounens por aí.

Isso reforça a ideia que as grandes autoridades mundiais não estavam dando atenção que imaginávamos para esse incidente, eles realmente deixaram o abacaxi (ou o trabalho sujo) para a Associação Hunter para acabar com o rei e as formigas (exatamente como o Netero falou), poupando o máximo possível as suas imagens políticas e vidas de civis.

hxh127 (32) hxh127 (33) hxh127 (34) hxh127 (37) hxh127 (39) hxh127 (42) hxh127 (43) hxh127 (43.5) hxh127 (44)

O final do episódio termina com o desespero do Pufu e do Youpi ao ver a explosão e o pedaço de carvão fossilizado que o rei virou com a explosão. O que irá sair dessa situação, embora não pareça, terá uma grande influência nessa nova fase do arco. Embora esse episódio não tenha sido melhor que o anterior, foi um bom episódio. O que vocês acharam?

Anúncios

12 pensamentos sobre “Comentando: Hunter x Hunter – Episódio 127

  1. Episódio incrível ao associar a realidade nossa com o fantasioso da obra do Togashi. HxH exige do espectador certa sutileza pra compreender os diversos pontos trabalhados e o que era pra ser uma batalha pura e simplesmente entre humanos e formigas, expõe muito do que vivemos hoje em sociedade e como agimos diante das adversidades.
    Togashi trabalha invertendo papéis sem parecer forçado. Ele consegue tornar seus personagens reais, passíveis de existência, diferentemente de muitas obras shounen, ótima analise hj Shaturanga.

  2. Melhor review que vc já fez pro site do EMD, Shaturanga o/

    Episódio foi bem trabalho com seus próprios conceitos e dando indiretas levemente na bunda do espectador.

    Tenho uma dúvida, quando o vilão principal, no caso aqui é o Meruem, tem a mistura do Cell e do BUDA na sua personalidade e design, e ainda por cima ele representa o Ser Perfeito, então provavelmente ele tem o direito divino de governar, né ?

    • Segundo a mamaezinha do Meruem, ele seria a “luz que ilumina a todos” e teria sim neste caso o direito de governar em nome de seu caráter divino.

    • O Meruem é uma mistura de diversos vilões de DBZ. Ele tem uma aparência semelhante ao Cell e ao Freeza, e até mesmo ao Pículo. Ele trata seus subordinados e sua realize de forma semelhante ao Freeza. Foi criado para ser um ser supremo, assim como o Cell, e tem um desejo constante de testar a si mesmo.

      O Cell se testou em combates físicos, enquanto o Meruem se focou nos testes psicológicos, por ter certeza de ser imbatível em quesitos de força.

      E por fim temos suas semelhanças com o Buu. Ele tem a capacidade de absorver os poderes daqueles que ele derrota, e sua visão sobre a humanidade foi transformada através de um contato com um humano. O Buu respeita os humanos após ficar intimo do Mr. Satam, e o Meruem passa por algo semelhante com a Komugi.

      Se o Meruem não tivesse conhecido a Komugi, ele teria uma personalidade muito parecida a do Cell com o desejo de reinar do Freeza.

      Não vejo nada referente ao Buda em sua personalidade ou Design.

      ps: O nome dele veio do Árabe, se traduzido para o inglês ele seria semelhante ao nome feminino Mery.

        • Estupra, com certeza na parte em que o Meruem está carbonizado demonstra a clara referência a Buda e seu aspecto divino de trazer luz ao mundo. Isto fica ainda mais claro no episódio de hj. Perceba que a feição do rei carbonizado é muito próxima das estátuas de Buda.
          E visível que o DB tem influência no trabalho do Togashi, mas convenhamos que em HxH, vc precisa prestar atenção ou ter uma noção melhor de algumas religiões pra compreender a sutileza de certos momentos. Concordo com as associações que vc fez sobre os vilões de DB para ajudar a montar a personalidade do Meruem, só discordo de ele ser apenas uma mistura disso, ele acrescenta dualidades bem trabalhadas entre o lado divino, humano e de formiga e transforma o personagem de um vilão para um ser com condições de mudar aquilo que desejar. Ele possui o poder, mas falta-lhe a sabedoria para se tornar um deus. Foi está a mensagem que consegui pegar do Togashi em relação a este personagem.

        • Eu passei alguns anos estudando o budismo e não vejo nenhuma semelhança entre Meruem e Buda.

          O Buda não representa trazer luz ao mundo, ele é apenas um exemplo a ser seguido. Para alcançar o transcendência buda, você não necessita de poder, é necessário alcançar a visão impessoal e ampla de todos os fenômenos. Buda nem sequer é considerado um deus, ele mesmo se recusa a enxergar-se com um deus, ele é apenas uma entidade desperta. O budismo é uma religião não teísta.

          Ele é praticamente o oposto de Buda. Ele tem poder ao invés de conhecimento e entendimento, ele é destinado a governar e não a guiar,

          Segundo Sidarta Gautama (fundador do budismo, conhecido popularmente como Buda), não há intermediário entre a humanidade e o divino; Sua ideologia rejeita a conquista da salvação ou plenitude através de suplicas a entidades inalcançáveis.

          Em sua história o Sidarta Gautama recusa o trono antes mesmo de ter alcançado a iluminação.

          Espero não ter parecido prepotente, só quis lhe explicar o porque não vejo similaridade entre eles.

  3. Eu disse que a feição do Meruem carbonizado se assemelha a de Buda, não comparei os dois e muito menos disse que Buda era um deus ou que Meruem era ele. Disse que a idéia do Togashi era trazer algo divino na construção do personagem e pôs o nome ligado a luz e trouxe essa semelhança física apenas quando ele está carbonizado. Não devo ter me expressado bem e não se preocupe Estupratom, vc foi longe de ser prepotente, kkk. Não sou como uns e outros que se ofendem por qualquer coisa e esse nem foi o caso.
    Sobre a questão do poder, dai já voltei pra questão de ser um deus mesmo, que no plot ele seria como um Messias, que renovaria o mundo ao seu bel prazer. Como lhe falta a sabedoria de um deus ele não conseguiria. Nesta parte não estou falando de Buda, mas ao ler de novo parece que falo disso, só que não. Acabei misturando as idéias demais, minha intenção era mostrar que o Togashi estudou várias religiões para moldar o personagem e deu a ele dualidades bem complexas, como tentar associar a visão ocidental de deus com a oriental, ao menos.

    • Isso esclarece seu comentário. Sua iluminação pode relembrar o divino, mas não o budista. A luz do budismo rodeia o esclarecido, nunca é emanada dele.

      Não consigo ver ele como uma divindade predestinada porque ele nunca é tratado como um ser onipotente, ele é visto como superior, e principalmente como um imperador.

      Uma das principais características que me distanciam disso é a referência clara do Netero com o bodisatva, e logo, ao budismo. Togashi não iria repetir as mesmas referências nesses dois indivíduos.

      Se eu fosse ver o Meruem por um ponto que mescla sua nobreza, motivação, direito de nascença e uma referência a divindade, eu o enxergaria como algo próximo a um Pharao.

      Eu adoro uma bos discussão sobre analogias e referências religiosas. Você e o Gon me fizeram tirar alguns livros empoeirados da pratilheira durante essa semana. O problema é que eu deveria estar estudando para minhas provas. T.T

      • Como você citou imperador, pelo menos segundo o que sei sobre a mitologia japonesa, Izanagi e Izanami, os deuses criadores, tiveram a deusa filha xinto do sol e através de seu filho se iniciou a família imperial. A maioria dos imperadores do oriente se valiam de sua ligação com o divino para governar sem perturbações, acho que o mesmo vale nesse caso, sob outra ótica. Imperador cai bem pro Meruem e acho que ele carbonizado com a aparência de Buda simboliza talvez que ele tenha sido tocado pelo Netero, sei lá.

        Foi malz ae pela discussão infrutífera, kkk, quando começo uma é difícil parar. Finalizando aqui pra não te ferrar mais ainda nas provas. Agora que estou a toa esses dias, esqueço que os outros tem o que fazer. Flw!

        • Eu o vejo como um imperador, mas não um imperador enviado pelos céus, para mim ele é mais semelhante a Alexandre. Em seu momento de agonia eu não vejo nenhuma influência ao Netero, apenas as dádivas dadas por seus súditos e seu renascimento.

          Só acho que vocês estão sendo precipitados em comparar sua aparência com a de Buda. Mesmo visualmente ele não é nem um pouco semelhante, como eu expliquei antes, ele gera luz enquanto o buda é iluminado por uma luz externa.

        • Bom, se vc diz. Só sei o básico do budismo, então acho que fui equivocado, mas a imagem dele lembrou demais, e a questão da luz não disse em relação a isso, foi mais em relação ao nome dele e ao episódio dessa semana e ao rejubilo do momento.
          Vou pesquisar mais sobre esse assunto, achei interessante. Vlw, Estupra, recomenda algum livro?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s