Review EMD – Arrow

Fala aí cambada. Aqui é o Carlos e eu tô de volta porra!!! Trago hoje a minha opinião sobre uma série que já conta com duas temporadas (vou falar das duas ao mesmo tempo nesse post). Tenho que confessar, não estava muito empolgado quando comecei a vê-la, mas ela me surpreendeu muito, pro bem e pro mal. Além disso, ela também faz ligação ao outro universo que comentamos aqui no site, que é o universo das HQ’s e acaba sendo uma ótima pedida pra ser a primeira review ou comentando de séries do EMD (eu acho, rs). Então, vamos ao que interessa!

 

Sinopse
Após um violento naufrágio, o playboy milionário Oliver Queen é dado como morto. Cinco anos depois, ele é resgatado de uma ilha do Pacífico e enviado de volta a Starling City. Quem lhe dá as boas-vindas é sua mãe Moira, sua querida irmã Thea e seu melhor amigo Tommy. Entretanto, pouco a pouco, todos começam a perceber que Oliver já não é o mesmo de antes. Tentando disfarçar a mudança, Oliver decide consertar alguns erros do passado. E o primeiro deles é tentar reconciliar-se com a ex-namorada, Laurel Lance. Enquanto reinicia sua vida junto da família, secretamente Arrow vigia as ruas da cidade, lutando contra as atrocidades da sociedade, trazendo de volta o brilho à Starling City. De dia, Oliver atua como um milionário despreocupado, sempre acompanhado do seu guarda-costas e motorista John Diggle, que o ajuda a ocultar sua verdadeira identidade quando cai à noite. Só que o pai de Laurel, o detetive Quentin Lance, está decidido em colocar o personagem misterioso atrás das grades.

Para quem não conhece a série ou o personagem dos quadrinhos, a sinopse apresenta muito bem o que vai se passar no início da história de Oliver. Logo, não somos pegos de surpresa (no início) por uma trama mirabolante ou algo pior do que esperado. Não, é exatamente isso aí. Então, se gostaram da sinopse continuem lendo o texto e depois vão ver a série, se não…bem…continuem lendo o texto pelo menos, talvez mude de opinião.

Arrow2

A série trabalha sua narrativa de uma forma muito prazerosa alternando os acontecimentos que se passaram nesses 5 anos que  Oliver desapareceu com o presente do personagem. Nesse  sentido, ela se torna melhor do que o início dos personagens na  HQ. Eu nunca li a HQ do Arqueiro Verde, porém em alguns textos  que li disseram que o inicio da história é simplesmente ele voltando desses 5 anos de esquecimento e indo fazer justiça com  as próprias mãos, dessa forma, no quadrinho não existe esse background a priori, que na  série televisiva vem demonstrando-se essencial. Esse modelo de  dois cenários com histórias interligadas se torna interessante para que o público entenda as angústias e os ideais do herói.  Também serve para muitas das vezes acabar por salvar alguns episódios, pois em vários momentos somente o embate entre herói e vilão sem uma trama por trás, torna-se chato. Sendo assim, a história dos 5 anos perdidos por Oliver fica mais atrativa ao público que o presente momento, em ambas as temporadas.

1147O roteiro da primeira temporada não é besta, pois ele consegue ser bem amarrado fazendo com que acontecimentos dos primeiros episódios reflitam em sérias ocasiões do final da temporada. O cenário do presente trabalha bem as dificuldades da vida dupla de Oliver, principalmente pelo fato de todos a sua volta ainda estarem se acostumando a volta dele, assim como ele, que deve se acostumar com a vida “normal” – nota para atuação de Stephen Amell. Isso pode parecer meio travado no inicio, mas devemos perceber que a série trabalha a dificuldade da volta de uma pessoa a vida antiga após passar por diversas situações difíceis.  Porém, isso ainda não evita que no início aconteça bastante do passado do personagem salvar o presente, algo entendível por ser a apresentação da formação do playboy em herói. As locações da ilha “purgatório” tornam-se ainda mais interessantes, pois a tensão que só vemos em certas partes no presente, é constante no passado. Oliver e os outros personagens que se juntam a ele sempre estão em perigo, as coisas nunca são tão fáceis quanto parecem.

?????E os personagens? Não são nenhum professor que vira o maior traficante dos EUA, mas fazem um bom trabalho na trama, e o melhor, respeitam a história dos personagens nos quadrinhos. Nesse quesito temos que dar os parabéns a série e seus produtores, pois ela consegue trazer para o nosso mundo personagens e vilões marcantes do universo DC, de uma forma interessante, seguindo os caminhos da fantástica trilogia de Christopher (Fucking) Nolan.

Universo DC? Pera aí, não é Arqueiro Verde ou Arrow ou mais uma coisa que cópia Robin Hood? WTF?!!!!!!!!

Há! Vocês não contavam com a astúcia desses produtores, né? rs. Arrow vem servindo de base para toda a construção do universo DC dentro do meio televisivo, muito mais até que os filmes do Superman. É só ficar um pouco atento que perceberá diversos personagens que não pertencem somente as histórias do arqueiro, como por exemplo: Deadshoot, Caçadora, Deathstroke (muitos vão lembrar-se do Slade de Jovens Titãs que passava no Cartoon), Arlequina e etc. Além disso, serviu como base para criar a série do personagem Flash. O que espero agora é que para o filme da Liga da Justiça aconteça o crossover entre telinha e “telona”, meio obvio isso, né? Tomara que seja, já que Hollywood adora inventar e fazer merda, nesse caso acredito ser meio difícil.

020Santa Tartaruga, então Arrow é foda pra caralho!!!! É… não. Vocês já devem ter percebido isso no início do texto, existem certas coisas que vão te irritar na série. Primeiramente, logo de cara são apresentados dezenas de personagens, o que bombardeia o público com informações muitas vezes desnecessárias.

Principalmente na segunda temporada o nível dos diálogos cai demais, têm vezes que você quer deixar no mudo pra não ouvir tanta abobrinha. Acredito que na primeira temporada eles fizeram uma coisa linear, nem ruim nem bom, o que é interessante numa série de TV aberta. Mas ai que tá, muita das vezes os produtores devem acreditar que as coisas têm que ser bem mastigada e totalmente auto-explicativas para o público em massa, o que não é verdade. Fazer o público pensar um pouco é até mais divertido. Esse erro é muito visto nos passares dos anos de Big Bang Theory, por exemplo.

013~3As motivações dos big boss da segunda saga de Arrow também são bem imbecis, principalmente a de Slade, que chega até a ser um furo de roteiro. Nunca foi demonstrado na série um grande romance entre ele e a Shado, e do nada o cara ama ela. Bem forçado! Muitos podem falar que amor simplesmente acontece ou que se explica esse romance na HQ de Arrow que a DC vêm lançando. Não importa! É um furo de roteiro gigante na história contada dentro da mídia televisiva onde ela precisa acontecer de forma coesa, apesar de suas extensões, que estão ai para expandir o universo de uma obra, então, isso não conserta as falhas. Se fosse sempre assim seria muito fácil ser roteirista, produtor, diretor e etc.

personagens-dc-na-serie-arrow-02Mas a segunda temporada não é um desastre completo, calma que tem coisa boa. Se lembra que eu falei em construir o universo DC na televisão? Então, isso acontece, principalmente na segunda temporada, onde a maioria dos personagens já citados são introduzidos.

 O roteiro apresentado na segunda temporada é muito melhor que o da primeira. Nele podemos nos deparar com possibilidades interessantes para expandir seu universo, pois apresenta diversas constatações referentes a tomadas de decisões (que também acontecem na primeira) sobre agências de espionagem e defesa nacional, dentre outras. Isso acaba sendo algo que foge um pouco do universo mais pé no chão, menos ousado alguns podem dizer, que foi apresentado na primeira.  

UnthinkableAlém disso, a série encorpa na season 2, pois na primeira vemos muitos dos episódios vilão versus heróis de arco único. Já na segunda temos tudo sendo relacionado à um grande plot, o que culmina no ponto médio entre os acontecimentos do passado e do presente. Para esse upgrade da série também deve-se perceber a melhora na atuação dos personagens, aparentemente os atores já estão entrosados e entendem mais seus personagens. Outra coisa a ressaltar, é a utilização de uma maior gama de personagens mais interessantes, o que esconde um pouco outros personagens mais irritantes, como é o caso da volta de Sara em contrapartida com um menor destaque de Laurel (personagem chata da porra).

 Arrow é uma boa série de se assistir. Ela não tem medo de assumir-se como uma série baseada em história em quadrinho, o que a torna divertida para os leitores e fãs de HQ’s, mas também serve muito bem como um ótimo passatempo para aqueles que nunca leram uma HQ. Ao mesmo tempo, temos que agradecer que finalmente uma empreitada da DC para a construção de seu universo em outra mídia esteja dando certo, mais até que a da sua rival, nos contextos televisivos, é claro. Assim, só nos resta esperar com sangue nos olhos e vomitando arco-íris pelo filme da Liga da Justiça, onde espero que faça crossover entre as séries televisivas e o cinema, e que dê certo, é claro. Assim, a DC deve expandir cada vez mais seu universo nas televisões, e espero que acertem com seus próximos filmes. Desse modo, não dá mais para ter só filmes de peso como o primeiro Superman e a trilogia Dark Knight, a DC deve montar seu universo também nos cinemas, senão será bastante difícil superar a Marvel daqui a alguns anos.

Vendo a série como um todo minha nota pra Arrow é 7,5, tendo em vista todas as séries que estão sendo produzidas nesse momento. Porém, se comparasse somente com séries de canais abertos a nota subiria pra um 9. Série de quadrinhos então, não existe uma comparação para ela hoje, esperemos os próximos anos para ter melhor noção. Bjundas e fiquem bêbados, abraço!

9 pensamentos sobre “Review EMD – Arrow

  1. Eu te agradeço por essa review, Carlos e gostaria de informar os membros do grupo que o link do cast “EMD Awards 2013” está quebrado. Vcs poderiam reposta-lo?

    • Se deixar rola até de ter podcasts cara, mas tudo depende se o publico vai dar retorno. Sempre esperamos que comentem bastante os noços posts para saber no que acertamos e no que melhorar

  2. Eu tentei assistir isso aí, fui até o episódio 11~12, mas achei muito repetitivo. Não consegui terminar de assistir e acabei dropando. Pode até melhorar depois, mas até onde eu vi não me deixou com nenhuma vontade de ver o resto.

    • O inicio é bem repetitivo mesmo, só tem capitulo vilão x herói, o que torna bem chato. Só continuei vendo pelo passado dele que acabei gostando, tbm gostei do personagem. A primeira temporada demora a engrenar, mas o final é bom. Tu só viu a parte bem ruim rs.

  3. Terminei de ver a 1°temporada…decepção total!!! As resoluções dos casos e da trama da série ficaram tão toscas,os flashbacks começaram a me desinteressar,personagens irritantes e incriveis coincidências ao acaso. Me disseram que a 2° temp melhora,só ver pra crer

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s