Primeiras impressões – Gangsta

E eu aqui de novo em mais um Primeiras Impressões. Desta vez trago uma obra mais pesada e no estilo de seinen que mais curto, repleto de sangue, drogas, sexo e um pouco de humor negro e inocente (por que não?), Gangsta. Minha intenção era indicar um trabalho semelhante, embora superior, no entanto, devido as dificuldades em se encontrar o mangá traduzido, preferi por este, que tem seus diferenciais e em breve ganhará uma animação.

gangsta

O mangá estreou pela Comic Bunch em 2011 pelas mãos da, até então estreante autora Kosuke (também conhecida como Kohske), uma freelancer de algumas histórias curtas, que logo chamou a atenção com seu traço diferenciado e apostar em um ramo dominado por homens, os mangás seinen. O mangá já conta com 6 volumes, e recentemente ela começou a escrever Doodle, um mangá de características semelhantes a Gangsta  e segue com os dois em produção. Tenho esperanças de que em breve lancem o mangá por aqui, apesar de se tratar de um seinen mais violento e ter um contexto pouco popular para os nossos padrões, as editoras estão investindo mais por aqui e andam surpreendendo com alguns lançamentos, quem sabe? Dos últimos anúncios do Anime Friends, haviam muitas obras desconhecidas e ruins, poderiam variar e pegar algo desconhecido e bom, como esse aqui. As vezes, essas editoras fazem péssimas escolhas…

Como fiz em Gunka no Balzer, vou comentar somente do primeiro volume do mangá, sem spoilers. Entaum bora falar do que interessa:

banner

Sinopse: “Na cidade de Ergastulum, há uma região onde a máfia domina, criminosos se escondem, prostitutas buscam trabalho e policiais corruptos agem por interesse pessoal, todos envolvidos em negócios muito sujos, mesmo para seus habitantes mais entediados. Nesse lugar vivem Nic e Worick, mais conhecidos como “Benriya” (Pau pra toda obra, em sentido literal), homens de passado obscuro que pegam os trabalhos que ninguém mais quer. Em mais um de seus trabalhos, Alex cruza os seus caminhos e a partir daí passamos a conhecer mais o dia a dia desses dois homens perigosos.

Primeiras impressões

coverLogo de cara, eu fiquei surpreendido pelo traço do mangá, muito mais próximo de uma HQ, com o perfil voltado para o americanizado, mas que ao mesmo tempo você percebe que é um mangá, com as características marcantes de um. A autora conseguiu fazer uma ótima mistura das duas vertentes, apesar de não acompanhar histórias em quadrinhos (e isso tem começado a mudar) é bem perceptível. Notei também como a narrativa se apresenta objetiva e literária, algo incomum de se ver em mangás, embora já tenha visto em algumas obras e em Gangsta é algo extremamente bem trabalhado e não deixam os desenhos sem função, pelo contrário, conseguem encaixar o texto mais descritivo a cena apresentada. (Como não sei japonês, não posso afirmar se isso foi algo proposital por parte da autora ou seria pela tradução mesmo).

A movimentação dos personagens é bem fluída e constantemente ultrapassa ou oculta os seus enquadramentos originais, tornando tudo mais dinâmico, quase animado. Os ângulos utilizados são dos mais variados e interessantes, constantemente brincando com a visão do leitor, e mesmo com a possibilidade de usufruir disso para trazer ângulos indiscretos dos personagens, ela não o faz e merece muitas palmas por isso (e talvez essa seja a razão do mangá não ser popular entre os otakus).

Ela utiliza traços mais infantis nos momentos de comédia e em seguida apresenta cenas fortes com toda a seriedade necessária, e esse choque comumente usado em mangás shounen, no caso de Gangsta, ficou natural (assim como em Fullmetal Alchemist), devido ao próprio traço cair bem para ambos os lados. Kosuke teve sacadas geniais ao colocar um dos personagens principais com problemas de surdez e precisar “falar” a linguagem de sinais e mostrou como um empecilho para a narrativa se tornou um ponto forte na obra, mecanismo esse semelhante ao utilizado na personagem Celty de Durarara!

Os cenários geralmente se limitam a fundos brancos, casebres e alguns panfletos e pôsteres muito legais. Em alguns momentos, ela capricha e percebe-se que se quisesse poderia vir algo mais detalhado, embora para mim, em nenhum momento isto me incomodou. A movimentação e angulação frenética imposta pela Kosuke já compensa qualquer uma desses cenários simplificados, ainda mais pelo caracter design dos personagens estar sempre bem feito e estiloso.

Gangsta-01-536x380E o que falar do trio de personagens principais? Cada um melhor que o outro. Primeiro temos o Worick, um cara despojado, usa tapa-olho (único defeito ao meu ver), de visual e personalidade forte, cabelos sedosos (algo muito importante) e geralmente o alívio cômico do grupo. E logo depois vem o seu parceiro, Nicolas, o fodão meio surdo, baixinho de mãos grandes (ui!) que anda com uma katana por ai. Por último, a mocinha Alex, uma prostituta sem eira nem beira, de olhar cabisbaixo, e que acaba indo morar com esses dois.

Falando desse jeito, parece que os personagens são clichês (o que não quer dizer algo ruim), mal construídos e pouco interessantes, mas não é bem assim. A narrativa do primeiro volume, mal desenvolveu a personalidade e o passado desses personagens, focando primeiramente no cotidiano deles, e digo isso analisando o que outras obras apresentaram como desenvolvimento em seu primeiro volume. Devido ao ritmo frenético não atrapalhou, só não pode se estender demais com isso e terminar com personagens rasos, o que acho que não deve acontecer, pelo simples motivo, que muito mangás seinens atuais, tem demorado a construir e desenvolver suas histórias, mas tem compensado com os resultados incríveis em futuros volumes.

mgangsta_ch6_021

Então para finalizar, pois já me estendi demais, vou simplificar o motivo de Gangsta ser uma ótima opção. É um seinen de ação frenética, engraçado, tem ótimos personagens, um cenário interessante, apesar de pouco explorado nesse primeiro volume e uma narrativa ousada e objetiva. Como pontos fracos, posso destacar algumas piadas pouco inspiradas, especialmente nos extras, todos focados em um passarinho idiota e os cenários simples demais e que não complementam a obra.

Comentem ae o que acharam do primeiras impressões, já que possivelmente vou focar-me unicamente no Notícias EMD por enquanto e gostaria de algumas sugestões. Flw!

Acompanhem-nos pelo Facebook e pelo Twitter @EMDCast

E não se esqueça de participar do sorteio dessa semana.

Anúncios

6 pensamentos sobre “Primeiras impressões – Gangsta

  1. Logo que bati o olho na primeira imagem lembrei do Spike e Vicious de Cowboy Bebop. Parece bem bacana, tem como desponibilizar no post link pra baixar? Tá osso de achar.

  2. Li o primeiro cap, de fato, bem interessante a obra, pretendo acompanhar… ela e mais alguma, cadê o tempo? T.T
    Nos sites das duas scans q traduzem, os links pros volumes estão off, o único jeito é ler online (o mangá host é bom, tem um número gigantesco de títulos, mas… acho ele meio lento na passagem de págs.) :/

  3. Pingback: Ranking Semanal #01 – Tudo termina menos Naruto | Ecchi Must Die!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s